Mercado abrirá em 9 h 7 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,90
    +0,92 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.759,10
    +7,40 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    43.914,16
    +1.673,98 (+3,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.097,49
    -5,57 (-0,50%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.338,56
    +146,40 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    30.326,30
    +77,49 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    15.372,25
    +53,50 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2569
    +0,0013 (+0,02%)
     

Samsung planeja investir US$ 205 bi e contratar 40.000 pessoas

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Samsung Group apresentou um plano de expansão de 240 trilhões de won (US$ 205 bilhões) que envolverá a contratação de 40.000 pessoas ao longo de três anos. O objetivo é construir uma posição de liderança para o conglomerado sul-coreano em tecnologias de última geração.

A Samsung Electronics e afiliadas como a Samsung Biologics pretendem liderar pesquisas e gastos em áreas como telecomunicação, robótica e aquisições corporativas. O maior conglomerado do país separou 180 trilhões de won apenas para seu país de origem e agora pretende contratar mais 10.000 pessoas no período, além dos 30.000 novos empregos que já estavam planejados, afirmou o grupo em comunicado. As ações da Samsung Electronics subiram 3,1% na terça-feira.

Os investimentos incluem despesas que já tinham sido apresentadas, como a meta de longo prazo da Samsung Electronics de gastar US$ 151 bilhões até 2030 na fabricação avançada de semicondutores. O anúncio ocorre dias depois de o herdeiro da Samsung, Jay Y. Lee, sair da prisão. O comandante de fato do conglomerado estava cumprindo pena por acusações de corrupção e recebeu liberdade condicional poucos meses antes da eleição presidencial na Coreia do Sul.

Lee, 53 anos, tinha sido mandado de volta para a prisão em janeiro, após ser condenado por pagar propina em troca de apoio na sucessão formal no conglomerado. O bilionário havia cumprido seis dos 18 meses de pena durante sua segunda passagem pela prisão, além do ano em que esteve preso até 2018.

Nos meses após a prisão, uma crise de abastecimento na indústria global de semicondutores e o papel da Samsung na facilitação do acordo com os EUA para distribuição de vacinas contra a Covid-19 intensificaram os pedidos de líderes empresariais e políticos pela libertação de Lee. Ativistas criticaram a decisão como prova do tratamento preferencial dado à poderosa classe de magnatas conhecida como chaebol.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos