Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,58
    -0,13 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.630,40
    -3,00 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    19.099,24
    +372,56 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,96
    +5,86 (+1,35%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.305,75
    -10,50 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1769
    +0,0793 (+1,56%)
     

Samsung manterá parceria com AMD para novo Exynos

Em artigo destinado a discutir os componentes de um chipset, a Samsung confirmou que manterá a parceria com a AMD para o desenvolvimento de GPUs para a família Exynos. A novidade dá novo rumo aos processadores proprietários da gigante, cujo futuro estava incerto após o anúncio de um contrato de ampliação de uso de chips Snapdragon com a Qualcomm.

Em sua central de notícias, a Samsung iniciou uma série de artigos em que tratará sobre os principais componentes de um chipset, em um trabalho conjunto com a equipe por trás da família Exynos. No primeiro texto, publicado nesta quinta (25), a companhia detalhou o funcionamento e a importância da GPU, destacando a Xclipse 920, solução mais recente desenvolvida junto à AMD.

Além de discutir sobre a microarquitetura RDNA 2 e as inovações proporcionadas pelo seu uso, com foco em Ray Tracing, dados interessantes a respeito do futuro da linha Exynos foram citados — Samsung e AMD continuarão a trabalhar juntas no desenvolvimento do chip gráfico da plataforma, conforme enfatizou o vice-presidente do departamento de GPUs da divisão Exynos, Sungboem Park.

A aceleração de hardware para Ray Tracing foi um dos destaques da Xclipse 920, e deve seguir como uma tecnologia importante em futuros Exynos (Imagem: Samsung)
A aceleração de hardware para Ray Tracing foi um dos destaques da Xclipse 920, e deve seguir como uma tecnologia importante em futuros Exynos (Imagem: Samsung)

"Planejamos continuar a implementar outros recursos da série RDNA ao trabalhar de perto com a AMD daqui em diante", explica o executivo. "Em geral, [soluções] mobile tendem a estar cerca de 5 anos atrasadas em relação aos consoles quando falamos de tecnologias gráficas, e apesar disso, fomos capazes de incorporar rapidamente as tecnologias de consoles mais recentes no processador mobile Exynos 2200 através de nossa colaboração com a AMD".

Sungboem Park não deixa claro se veríamos um novo fruto desse trabalho conjunto no ano que vem, mas essas informações estabelecem um cenário curioso diante do anúncio recente de que a série Galaxy S23, próximos flagships tradicionais da marca, serão exclusivamente equipados por chips Snapdragon em todo o mundo. Isso também dá novo fôlego a rumores de que a companhia deve aproveitar esse período para reiniciar os trabalhos com a família Exynos.

Xclipse 920 estreou Ray Tracing em celulares

Pouco antes do anúncio da linha Galaxy S22, a Samsung revelou o Exynos 2200, cujo maior destaque era a GPU Xclipse 920 — uma mescla do "X" de Exynos com eclipse, simbolizando as ambições da fabricante. Baseada na microarquitetura RDNA 2, mesma presente no PS5, Xbox Series X-S e placas de vídeo Radeon RX 6000, a novidade prometia entregar alta performance e recursos inéditos em smartphones, incluindo Ray Tracing e Variable Rate Shading (VRS).

Apesar das promessas, o Exynos 2200, equipado com a GPU Xlipse 920 desenvolvida junto à AMD, não atendeu às expectativas (Imagem: Samsung/YouTube)
Apesar das promessas, o Exynos 2200, equipado com a GPU Xlipse 920 desenvolvida junto à AMD, não atendeu às expectativas (Imagem: Samsung/YouTube)

Apesar das promessas, a plataforma, disponível apenas na Europa, não atendeu às expectativas, entregando desempenho abaixo da Adreno 730 presente no Snapdragon 8 Gen 1. Além disso, os problemas já conhecidos da família Exynos estavam presentes, incluindo a falta de otimização em games e, nesse caso em específico, a ausência de títulos que tirassem proveito das tecnologias exclusivas da Xclipse 920.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: