Samsung estaria desenvolvendo tela OLED com inéditos 1.000 ppi para celulares

·2 minuto de leitura

Fontes próximas da Samsung Display, maior fabricante de telas OLED do mundo, afirmaram na última quarta-feira (12) que a empresa estaria desenvolvendo uma nova tecnologia TFT (transistor de película fina) para a produção de telas OLED com inéditos 1.000 pixels por polegada (ppi). Atualmente, os smartphones mais potentes do mercado são os Xperia 1, Xperia 1 II e Xperia 1 III da Sony, que possuem displays OLED com resolução 4K e densidade de cerca de 643 ppi.

Segundo informantes do site coreano The Elec, o projeto é um dos 66 dados pelo Ministério do Comércio, Indústria e Energia local para desenvolver tecnologias de display de última geração até 2025. O novo painel TFT da Samsung visa, principalmente, reduzir os custos de fabricação e o consumo de energia ao suportar movimentos de elétrons dez vezes mais rápido em relação à solução atual.

Tecnicamente, uma tela OLED se destaca de uma LCD por não necessitar de um painel traseiro para acender os pixels, fazendo com que cada pixel trabalhe individualmente conforme o conteúdo exibido no dispositivo — por exemplo, em um ambiente com tons em preto e azul, somente os componentes azuis serão ligados.

O que a Samsung pretende fazer é adaptar o novo painel TFT para trabalhar em conjunto com o painel OLED para permitir que cada polegada de uma tela possua 1.000 pixels. Como? Infelizmente, ainda não há informações. Atualmente, o raciocínio é feito da seguinte maneira: quanto menor a tela e maior resolução, mais definição um celular terá, já que agrupará mais pixels num espaço relativamente menor.

Na prática, isso significa que, quanto mais pixels dentro de uma polegada de tela, menos "quadradinhos" serão visíveis, o que é ideal para conteúdos de realidade virtual — um smartphone de 6 polegadas com resolução HD+ oferece mais definição do que um modelo de 6,5 polegadas com a mesma resolução, por exemplo.

A solução da Samsung ainda estaria em fase de desenvolvimento, com previsão de disponibilização apenas a partir de 2024. A empresa deve dar mais detalhes sobre a tecnologia nos próximos meses.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: