Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.267,86
    +73,75 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Samsung está pronta para produzir chips de 3 nanômetros em 2022

·2 minuto de leitura

Os chips Exynos estão próximos de receberem uma melhoria que pode diminuir ainda mais a dependência da Samsung em relação à Qualcomm, além de ajudar a sul-coreana a figurar como uma das principais fornecedoras de chips para concorrentes como a MediaTek e a própria Qualcomm. Segundo informado, a companhia está pronta para produzir chips em processo de 3 nanômetros já em 2022, aumentando a eficiência dos seus semicondutores.

Os futuros SoCs em 3 nm significarão mais agilidade e eficiência energética para os chips. Em teoria, os gastos com insumos — atualmente escassos no mercado — poderão sofrer uma redução de 35%, enquanto o poder de processamento deve aumentar 30% e a economia de bateria chegar a 50%. Claro, esses são potenciais teóricos máximos.

(Imagem: Divulgação/Samsung)
(Imagem: Divulgação/Samsung)

A chegada dos chips de 3 nanômetros também deve significar a migração da tecnologia FINFET para a GAAFET. A primeira é utilizada na produção de processadores desde os anos 90, e, com a inovação, os semicondutores terão um novo design multi-canal que será em boa parte responsável por esse salto de desempenho frente aos SoCs atualmente no mercado.

A produção massiva dos novos chips se dará ao longo do ano que vem. Isso significa que o Galaxy S22 chega ao mercado ainda com um Exynos 2200 produzido em 5 nanômetros. Como a Samsung estreia novos processadores na família S, fica a dúvida se, apesar da produção no ano que vem, os SoCs ficarão para o Galaxy S23, ou se irão estrear em outros flagships — como os possíveis Galaxy Z Flip 4 e Z Fold 4.

Mirando nos 2 nm

Para além dos chips em 3 nm, a sul-coreana se prepara para os de 2 nanômetros em 2025. Detalhes sobre eles são bem escassos, já que os esforços atuais estão concentrados no componente que será produzido em 2022.

Vale lembrar que a TSMC também promete chips de 3 nanômetros para o ano que vem, visando se manter como a maior fabricante independente de semicondutores do mercado, e agradar suas parceiras tradicionais no meio como Nvidia e Apple.

Menos dependência da Qualcomm

Se a Samsung conseguir entregar chips com ainda mais desempenho em 2022, a resistência ao Exynos em mercados-chave deverá diminuir. Com isso, a empresa poderia respirar mais tranquila nesse momento de escassez de semicondutores, o que teria comprometido até mesmo o lançamento do Galaxy S21 FE.

O próximo teste de confiança da empresa será o Exynos 2200 do Galaxy S22, a ser anunciado no final deste ano ou começo de 2022. Ele será o primeiro fruto da parceria com a AMD, trazendo GPU com microarquitetura baseada na RDNA2 e suporte a tecnologias como Ray Tracing aos smartphones.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos