Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,39
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.762,80
    -4,00 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    63.151,86
    +269,56 (+0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.399,64
    +18,69 (+1,35%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.855,44
    +62,30 (+0,22%)
     
  • NIKKEI

    29.698,64
    +55,95 (+0,19%)
     
  • NASDAQ

    13.976,75
    -37,25 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7118
    -0,0093 (-0,14%)
     

Samsung anuncia memória DDR5 de 512 GB para computação de alta demanda

Igor Almenara
·2 minuto de leitura

A Samsung anunciou seus primeiros módulos de memória RAM com tecnologia DDR5. Módulos avançados destinados à computação de altíssima demanda logo poderiam contar com chips baseados no processo High-K Metal Gate (HKMG), que compõem esses primeiros modelos com 512 GB de capacidade.

Assim como as demais evoluções dessa tecnologia, o avanço da DDR5 se dedica ao aprimoramento da velocidade de comunicação e capacidades. Neste caso, o padrão será destinado a cargas de trabalho significativamente mais exigentes que um usuário doméstico, em máquinas responsáveis por processamento de inteligência artificial, aprendizado de máquina e análise de dados.

As memórias DDR5 prometem dobrar a performance quando comparada com o padrão atual, as populares DDR4, elevando sua velocidade para 7.200 Mbps. Segundo o TechCrunch, uma memória como essa poderia processar dois filmes de 30 GB em altíssima resolução em apenas um segundo.

(Imagem: Divulgação/Samsung)
(Imagem: Divulgação/Samsung)

Por outro lado, o processo de fabricação HKMG é responsável pela minimização da dissipação de eletricidade, algo previsto num componente com tamanha eficiência. A demanda energética deve ser maior, considerando a finalidade dos módulos anunciados pela Samsung e sua capacidade, por isso é necessário aplicar tecnologias para contenção de energia para evitar interferência ou até outros problemas mais graves.

Melhorias do HKMG

Memórias RAM, assim como outros componentes baseados em eletricidade, são suscetíveis a interferências elétricas, principalmente quando envolve processos delicados de computação avançada. O HKMG, por sua vez, é uma tecnologia utilizada em semicondutores lógicos e se trata da aplicação de um material isolante para mitigar o vazamento de corrente elétrica.

Ao mesmo tempo que evita a dissipação de energia, o HKMG também atua na otimização de consumo energético. Embora os sistemas que embarcarão os módulos DDR5 já sejam naturalmente famintos por energia, diminuir a demanda é algo crítico para manter o modelo mais sustentável. Além disso, logicamente, o gasto inteligente de energia pode implicar em maior longevidade.

Não é a primeira vez que o processo toma conta da dissipação de energia em módulos de memória. Uma das suas aplicações está nos chips Samsung GDDR6, padrão que pode equipar placas de vídeo de computadores domésticos — embora não seja tão necessário nesses cenários de baixo consumo.

Atualmente, a Samsung está enviando variações da sua linha de produtos DDR5 para consumidores interessados para que façam a devida avaliação e certificação dos produtos — o que inclui grandes fabricantes, como a Intel.

A sul-coreana espera equipar o componente em sistemas que demandam rápido processamento de informações e que demandam confiabilidade durante o trabalho. Isso se aplica em cenários como pesquisas científicas, mercado financeiro, cidades inteligentes e até direção autônoma.

Não há previsão para a chegada dos primeiros módulos DDR5 no mercado. Se a avaliação dos principais interessados correr bem, não deve demorar para que os chips sejam incluídos em projetos e logo sejam anunciados em máquinas de altíssima demanda. Entretanto, para o usuário comum, essa novidade ainda pode levar alguns anos para chegar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: