Mercado fechado

Saldo de operações de crédito garantidas pela União recua 0,89% em 2019

Lu Aiko Otta

Total avalizado pelo governo federal em financiamentos levantados por municípios, Estados, estatais e bancos públicos somou R$ 255,9 bilhões O governo federal reduziu em 0,89% o volume de garantias concedidas a operações de crédito, informa relatório divulgado há pouco pelo Tesouro Nacional. Ao final de 2019, o saldo devedor chegou a R$ 255,92 bilhões, ante R$ 258,23 bilhões no final de 2018. A queda foi concentrada nos bancos federais, cujo saldo passou de R$ 13,09 bilhões para R$ 12,3 bilhões no ano passado.

Apesar do recuo no saldo, número de novas operações garantidas pelo Tesouro aumentou de 31 em 2018 para 77 em 2019, informa o Tesouro.

Desses, 57 novos contratos são de responsabilidade dos municípios. Com isso, o saldo a cargo de prefeituras aumentou 12,4%. Com isso, esse grupo de mutuários passou a responder por 7,6% do total do saldo devedor, ultrapassando os bancos federais, que detêm R$ 17,67 bilhões, ou 6,9% do saldo.

Os Estados são o grupo que respondem pelo maior montante da dívida: 78,3% do total, ou R$ 200,5 bilhões. Os principais destaques neste grupo são Rio de Janeiro e São Paulo, com 14,1% (R$ 36,03 bilhões) e 13,0% (R$ 33,27 bilhões) do total, respectivamente.

O Tesouro informou recentemente que precisou bancar R$ 8,35 bilhões em dívidas não honradas pelos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Norte e Amapá, além das prefeituras de Cachoeirinha (RS) e Belford Roxo (RJ). Foi um aumento de 73,2% em relação a 2018. Desde 2016, o total de garantias honradas pelo governo federal chega a R$ 19,61 bilhões.