Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.295,01
    +622,25 (+0,56%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.280,64
    -122,06 (-0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,25
    +1,29 (+1,55%)
     
  • OURO

    1.785,70
    +15,20 (+0,86%)
     
  • BTC-USD

    66.622,86
    +2.936,29 (+4,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.554,81
    +74,01 (+5,00%)
     
  • S&P500

    4.535,07
    +15,44 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.599,48
    +142,17 (+0,40%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.384,25
    -14,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4482
    -0,0480 (-0,74%)
     

Salário mínimo é 5 vezes menor que o necessário para sustentar uma família

·1 minuto de leitura
A cesta básica mais cara foi encontrada em São Paulo. Foto: Getty Images.
A cesta básica mais cara foi encontrada em São Paulo. Foto: Getty Images.
  • O Dieese divulgou o indicador referente ao mês de setembro

  • A cesta básica mais cara foi encontrada em São Paulo

  • É a sexta vez que o indicador sofreu aumento

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou dados relacionados ao custo de vida no Brasil. Segundo o levantamento, para uma família brasileira com dois adultos e duas crianças ser sustentada, seria necessário que o salário mínimo fosse de R$ 5.657,66. O valor é 5,14 vezes maior que o piso salarial nacional de R$ 1.100.

Para chegar ao valor, o Dieese usa como base o valor da cesta básica mais cara do país. No mês de setembro, a mais custosa foi encontrada em São Paulo (R$ 673,45). Em seguida, estão as cestas básicas compras em Porto Alegre (R$ 672,39), Florianópolis (R$ 662,85) e Rio de Janeiro (R$ 643,06). É a sexta vez no ano que o indicador sobe.

Leia também:

No entanto, as capitais com a maior alta do indicador foram Brasília (3,88%), Campo Grande (3,53%), São Paulo (3,53%) e Belo Horizonte (3,49%).

Por outro lado, o custo diminui em algumas capitais. Entre elas, estão João Pessoa (-2,91%) e Natal (-2,90%).

No levantamento, o Dieese lista algumas necessidades básicas incluídas no indicador: gastos com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Também foi divulgado o tempo médio necessário que um brasileiro tem que trabalhar para comprar uma cesta básica. De acordo com o estudo, o trabalhador gasta em média 115 horas e 02 minutos para adquirir os produtos.

As informações são da CNN Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos