Mercado fechará em 6 h 47 min
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,95
    -0,90 (-2,26%)
     
  • OURO

    1.904,50
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    13.137,59
    +60,58 (+0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,36
    +1,91 (+0,73%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.844,66
    -15,62 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.568,25
    -95,25 (-0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6737
    +0,0098 (+0,15%)
     

Salário em bitcoin é liberado pelo governo da Nova Zelândia

Redação Finanças
Foto: Getty
Foto: Getty

Pagamentos de salário em criptomoedas estão virando realidade mundo afora. Nesta semana, a Nova Zelândia aprovou uma resolução que permite que empresas remunerem funcionários com bitcoin.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

O governo neozelandês também aceita outras moedas digitais como salário, mas tem uma lista restrita de condições e formatos que podem ser utilizados. Os trabalhadores ainda não podem receber integralmente em criptomoedas, porém.

Leia também

Apenas 50% do salário de um empregado pode ser pago em bitcoin. Empresa e funcionário precisam assinar um acordo que confirme o interesse de ambos os lados no uso de criptomoedas.

Além de bitcoin, outras moedas aceitas pela nova regulamentação incluem bitcoin cash, bitcoin gold, ether e litecoin. Criptomoedas que não podem ser utilizadas incluem filecoin, dentacoin e crypto20.

O valor do salário precisa ser atrelado a uma moeda tradicional, como o dólar neozelandês, por exemplo. A nova regra passa a valer em 1 de setembro.