Mercado fechará em 2 h 55 min
  • BOVESPA

    110.265,53
    +1.777,65 (+1,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.761,21
    +242,91 (+0,47%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,84
    -0,44 (-0,40%)
     
  • OURO

    1.848,30
    +6,20 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    30.142,94
    +239,55 (+0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    677,56
    +2,68 (+0,40%)
     
  • S&P500

    3.959,27
    +57,91 (+1,48%)
     
  • DOW JONES

    31.839,86
    +577,96 (+1,85%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.970,50
    +129,75 (+1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1212
    -0,0316 (-0,61%)
     

Salários impulsionam inflação nos EUA, diz Summers (Correção)

(Bloomberg) -- O ex-secretário do Tesouro Lawrence Summers disse que o aumento dos salários representa um poderoso impulso à inflação nos EUA que reforça a necessidade de o Federal Reserve aumentar juros bem acima do nível que a maioria espera.

“Devemos pensar em termos de inflação salarial ou de custo do trabalho como uma espécie de medida de ‘super-núcleo’ da inflação”, disse Summers no programa “Wall Street Week” da Bloomberg Television. “É difícil escapar da conclusão de que está em 5,5% ou mais.”

Summers falou depois que um relatório do governo na sexta-feira mostrou que o custo do trabalho no primeiro trimestre teve maior alta em dados comparáveis desde o início dos anos 2000. O índice subiu 1,4%, o terceiro avanço trimestral consecutivo de pelo menos 1%.

Isso gera preços mais altos, pois as empresas cobram mais de seus clientes para compensar esses custos salariais, assim como os custos mais altos de matérias-primas.

O presidente do Fed Jerome Powell e seus colegas, que devem aumentar juros em meio ponto percentual na próxima semana, precisarão continuar ultrapassando a chamada taxa neutra, disse Summers, professor da Universidade de Harvard e colaborador pago da Bloomberg TV. Esse é o nível em que a taxa não estimula nem restringe a economia.

“Para reduzir a inflação, você precisa aumentar as taxas de juros reais acima do nível neutro”, disse Summers. Portanto, se a inflação estiver entre 3% e 4% e a taxa real neutra estiver em 0,5 ponto percentual, “você terá que atingir a faixa de 4,5 a 5 para reduzir significativamente a inflação”, disse ele.

A estimativa de longo prazo do Fed para sua taxa básica, não corrigida pela inflação, é de cerca de 2,4%. Autoridades do Fed projetaram aumentar a taxa básica até cerca de 2,8% no próximo ano, mantendo-a até 2024. A taxa é atualmente uma faixa de 0,25% a 0,5%.

(Corrige grafia de EUA no título)

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos