Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.049,90
    +107,23 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Salários da zona do euro subiram, mas expectativas de inflação estão ancoradas, diz vice-presidente do BCE

Luis de Guindos, vice-presidente do BCE

FRANKFURT (Reuters) - O crescimento salarial da zona do euro pode finalmente estar acelerando, mas as expectativas de inflação de longo prazo ainda estão ancoradas em torno da meta de 2% do Banco Central Europeu (BCE), disse o vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, nesta segunda-feira.

"Os dados salariais recebidos e os acordos salariais recentes indicam que a dinâmica salarial pode estar melhorando, o que justifica o monitoramento contínuo", afirmou Guindos em um discurso. "No entanto, até o momento, as expectativas de inflação permaneceram ancoradas."

De Guindos acrescentou que o BCE continuará a aumentar as taxas de juros e vai proceder "com prudência", para que a inflação volte à meta, mesmo que este processo demore um período "prolongado".

(Por Balazs Koranyi)