Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.562,85
    -8,20 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Salário mínimo supera Roberto Jefferson em debate de rede social, diz pesquisa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na semana anterior à eleição, o debate das redes sociais colocou a pauta econômica na lista dos temas mais abordados pelos internautas, segundo levantamento da agência de dados e mídia .Map.

A pesquisa mostra a discussão do salário mínimo acima das conversas sobre a prisão de Roberto Jefferson.

O tema ganhou destaque após a notícia, revelada pelo jornal Folha de S.Paulo, dos planos do Ministério da Economia de Paulo Guedes para deixar de corrigir o salário mínimo e a aposentadoria pela inflação passada.

Apesar de ganhar dimensão, o assunto ainda é superado por temas fora do âmbito econômico, como o tema geral das eleições de 2022, que ocupa a liderança do debate, seguido pelo caso da Jovem Pan e a participação de Bolsonaro em podcast.

Segundo a .Map, o volume de manifestações nas redes sociais triplicou na última semana encerrada nesta quinta (27) em relação aos sete dias anteriores.

"No mês, a política domina com 76% das publicações, abaixo de 2018, quando somava 88% das discussões nas redes. Mas há diferença de perfil: a política extrapolou suas fronteiras e avançou para demais temas da agenda social e econômica", diz relatório da .Map, que analisa amostra diária extraída de um universo de 1,4 milhão de posts em publicações abertas em Twitter e Facebook.