Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    31.964,61
    +170,28 (+0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Salário mínimo de 2021 será de R$ 1.100

CRISTIANE GERCINA
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Governo prevê salário mínimo de R$ 1.067 em 2021. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Governo prevê salário mínimo de R$ 1.067 em 2021. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo federal definiu o valor do salário mínimo em R$ 1.100 para o ano de 2021. A definição está em medida provisória do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicada no "Diário Oficial da União" desta quinta-feira (31).

O piso nacional reajustado começa a valer a partir desta sexta-feira (1º). O mesmo valor será aplicado ao piso dos benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) como aposentadorias, pensões e auxílios. Por ter força de lei, a MP começa a valer imediatamente. Há prazo de 60 dias, prorrogáveis por mais 60, para ser aprovada pelo Congresso e virar lei.

Segundo a medida provisória, o valor diário do salário mínimo será de R$ 36,67 e a hora corresponderá a R$ 5. O piso é válido em todo o país, a não ser em estados nos quais haja salário mínimo regional maior.

Até esta quinta (31), o mínimo é de R$ 1.045. A alta, de R$ 55, corresponde a um reajuste de 5,26%, acima da inflação prevista para o ano, que, segundo previsões do Ministério da Economia, deve ficar em 4,11%. No entanto, até novembro, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), usado para reajustar o mínimo e demais salários, já estava em 5,20%.

A inflação oficial do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o ano de 2020 só sairá no 12 de janeiro. Ela é utilizada no aumento dos benefícios do INSS acima do salário mínimo.

Política de valorização do mínimo acabou De 2006 a 2019, vigorou política de valorização do salário mínimo, instituída pelo governo Lula e aplicada por Dilma e Temer. Com ela, o piso nacional subia acima da inflação. A correção considerava a inflação do ano anterior mais o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes.

O governo Bolsonaro, no entanto, não renovou a política de valorização, o que faz com que a previsão sobre a alta do mínimo seja sempre de reajuste pela inflação. No entanto, como o valor é definido pelo presidente, o salário mínimo oficial só é confirmado após publicação de decreto ou MP.

O salário mínimo também serve de base para o cálculo de diversas outras verbas.