Mercado fechará em 5 h 28 min
  • BOVESPA

    120.105,21
    +808,08 (+0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.007,71
    +504,00 (+1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,67
    +1,49 (+2,48%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -14,60 (-0,84%)
     
  • BTC-USD

    63.080,76
    +449,39 (+0,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.353,48
    -22,30 (-1,62%)
     
  • S&P500

    4.148,64
    +7,05 (+0,17%)
     
  • DOW JONES

    33.874,51
    +197,24 (+0,59%)
     
  • FTSE

    6.922,21
    +31,72 (+0,46%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    +82,29 (+0,28%)
     
  • NASDAQ

    13.944,00
    -31,75 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7921
    -0,0391 (-0,57%)
     

Saída da Ford impulsiona maior queda da economia baiana desde maio de 2020

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
Frankfurt, Hesse/Germany - November 01, 2019: Ford logo on the glass facade of a car dealership
Ford decidiu fechar as três fábricas que tinha no Brasil no início deste ano
  • Ford decidiu fechar as três fábricas que tinha no Brasil no início de 2021

  • O fechamento da unidade de Camaçari (BA) levou a economia baiana a ter em fevereiro a maior queda desde maio de 2020

  • Montadora diz que com o fim das operações, cinco mil pessoas ficaram sem emprego no Brasil e na Argentina

Depois de a Ford anunciar o fim de suas operações no Brasil, com o fechamento da fábrica em Camaçari, na Bahia, a produção industrial baiana apresentou em fevereiro a maior queda desde maio do ano passado. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (8). As informações são do G1.

Leia também:

Na comparação com fevereiro do ano passado, o recuo foi de 20,9%, o mais impactante para a indústria da Bahia desde maio de 2020, quando houve uma queda 21,4%.

O impacto gerou o pior resultado regional do indicador acumulado nos dois primeiros meses do ano, em comparação com 2020. Já no acumulado de 12 meses, aqueda foi de 9,4%.

Impacto 20 vezes maior

Segundo a Ford, com o fechamento das fábricas no país, o número de empregos perdidos no Brasil e na Argentina chega cinco mil. Entretanto, o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) prevê que o impacto da decisão da montadora deve ser 20 vezes maior, já que existia toda uma cadeia indireta ligada à produção dos veículos.