Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.267,30
    -974,77 (-3,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Saiba porque está cada vez mais difícil comprar feijão

·2 min de leitura
Feijão carioca é o preferido do prato do brasileiro (Getty Imagens)
Feijão carioca é o preferido do prato do brasileiro (Getty Imagens)
  • Expectativa é safra 2021/2022 9,31% acima da última colheita

  • Feijão carioca é o feijão mais consumido no país

  • Exclusividade de consumo interno torna o grão pouco atrativo a produção

O prato feito pode perder um dos seus protagonistas. O feijão está cada vez mais difícil no prato do brasileiro e o motivo, para o Instituto Brasileiro de Feijões e Pulses, é a falta lavouras de feijão no agronegócio nacional. Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) a lavoura da leguminosa, de 2021 e 2022, é estimada em 3,1 milhões de toneladas, enquanto a produção de arroz está estimada em 11,4 milhões de toneladas para o mesmo período.

Mesmo com o aumento de 9,31% em comparação com a safra passada, o feijão está sumindo das mesas. Em entrevista ao Uol, o presidente do Instituto Brasileiro de Feijões e Pulses (Ibrafe), Marcelo Lüders, acrescenta a preferência nacional a falta de cultivo do feijão.

Leia também:

"Mais de 60% da produção e consumo de feijão no Brasil é de feijão carioca, e isso coloca o agricultor numa situação complicada: se faltar, ele não tem onde comprar [só o Brasil produz o carioca] e quando sobra, ele não tem para quem vender", disse Lüders.

Os estados do Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás concentram a produção de feijão, de acordo com o Portal de Informações Agropecuárias da Conab.

Made in Brazil

Segundo o presidente da Ibrafe o feijão carioca é consumido apenas no Brasil, o que desfavorece exportações do produto e deixa o produtor dependente do consumo interno. Por estas razões o agricultor migra para outras culturas, o que diminui ainda mais a produção de feijão carioca no país.

"O agricultor vê preços internacionais da soja e do milho valorizados, com incentivos das empresas e facilidades para comercializar esses grãos. Então, ele para de plantar feijão e vai plantar soja e milho porque ele não vai ter prejuízo", explicou Marcelo Lüders ao Uol.

Com informações do Uol Economia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos