Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,41
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.808,30
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    40.003,27
    +1.020,64 (+2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.980,50
    -31,00 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0669
    +0,0084 (+0,14%)
     

Saiba por que a mamografia só deve ser feita de duas a quatro semanas após a vacinação

·1 minuto de leitura
Saiba por que a mamografia só deve ser feita de duas a quatro semanas após a vacinação
Saiba por que a mamografia só deve ser feita de duas a quatro semanas após a vacinação

Mulheres que foram vacinadas contra a Covid-19 devem aguardar entre duas a quatro semanas antes de realizarem um exame de mamografia. A informação está sendo divulgada pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).

De acordo com o órgão, o motivo disso é que as pessoas podem desenvolver linfonodopatias axilares ao fazerem o procedimento após tomarem vacina. O evento é raro e pode ocorrer com qualquer imunizante, não só o contra a Covid-19.

Mamografia após a vacinação

“Por isso, nossa recomendação é que os agendamentos de exames de mamografia em pacientes sejam realizados antes da primeira dose da vacina ou, então, duas a quatro semanas depois da aplicação da segunda dose”, afirma dra. Maira Calfelli Caleffi, mastologista e presidente voluntária da Femama.

Leia mais:

“Porém, se a linfonodopatia permanecer, recomendamos a investigação, sugiro a biópsia do linfonodo para excluir a malignidade mamária ou de outra origem extramamária”, completa ainda a especialista.

A Femama explica ainda que a vacinação contra a Covid-19 não causa câncer de mama e nem nenhum problema relacionado e que notícias sobre isso que estão circulando são falsas. “Isso não é verdade, as vacinas não provocam câncer e nem facilitam a descoberta da doença”, explica a médica. “É importantíssimo que as mulheres retomem o quanto antes seus exames periódicos de mamografia e exames com o mastologista ou seu ginecologista”, finaliza.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos