Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.420,03
    +235,21 (+1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Saiba em quanto vai aumentar sua conta de luz com a nova bandeira tarifária

·2 min de leitura
Aneel mantém bandeira vermelha nas contas de luz de julho
Aneel mantém bandeira vermelha nas contas de luz de julho
  • Consumo médio de 150 kWh terá um custo mensal R$ 113,70 na nova bandeira escassez hídrica;

  • Segundo o instituto, a nova taxa vai significar em média um aumento de 19% em relação a bandeira verde;

  • Aneel anunciou ontem o novo valor da taxa extra - R$ 14,20 / 100 kWh.

O bolso do consumidor está longe de um descanso: segundo dados exclusivos do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), um consumo médio de 150 kWh teria um custo mensal de R$ 92,40 na bandeira verde e R$ 113,70 na bandeira escassez hídrica (valores sem impostos). O cálculo foi feito a partir da nova bandeira tarifária anunciada pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Segundo o instituto, a nova taxa vai significar em média um aumento de 19% em relação a bandeira mais barata da conta de luz.

"O cenário de racionamento já vem se apresentando, e não vemos medidas efetivas de redução de consumo por parte do governo federal. Embora haja um bônus para o consumidor que pode contribuir a mais, ainda assim é complicado, pois não é somente energia elétrica que mostra aumento, prejudicando assim os mais pobres", explica Clauber Leite, Coordenador do Programa de Energia do IDEC.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou o reajuste da bandeira tarifária patamar 2 com uma nova bandeira a ser cobrada, chamada de Escassez Hídrica. O novo valor da taxa extra é de R$ 14,20 pelo consumo de 100 kWh, com vigência de 1º de setembro de 2021 a 30 de abril de 2022. O aumento é de 6,78% em comparação ao último aumento da bandeira vermelha. Já é o segundo reajuste em dois meses.

O bônus para quem economizar energia nos próximos meses será pago pelos próprios consumidores, por meio de aumentos diluídos na conta de luz. O desconto será de R$ 0,50 por cada quilowatt-hora (kWh) do volume de energia economizado dentro da meta de 10% a 20%. Quem economizar menos que 10% não receberá bônus, e quem economizar mais que 20% não receberá prêmio adicional.

Leia também:

Até agora, o valor cobrado era de R$ 9,492 pelo consumo de 100 kWh. Segundo André Pepitone, diretor-geral da Aneel, a tarifa média no Brasil é de R$ 60. Com o novo valor anunciado, a conta sobe, no exemplo, para R$ 74,20, um aumento de 6,78%.

'Pode ser que tenha o racionamento em algum momento', diz Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta quarta-feira (1º) que "pode ser" que ocorra "algum racionamento" de energia no Brasil, diante do cenário de baixa dos reservatórios. A fala do vice ocorre um dia depois de o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) ter dito, em rede nacional, que a crise hídrica se agravou e pediu à população que economize energia "de forma voluntária".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos