Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.684,63
    -1.795,46 (-4,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Saiba contra quais variantes do coronavírus a vacina da Janssen é eficaz

·2 minuto de leitura

Nos próximos dias, deve chegar ao Brasil o primeiro carregamento de vacinas contra a COVID-19 da Janssen (Johnson & Johnson). No total, 3 milhões de doses devem ser distribuídas para os brasileiros. Até agora, uma das principais vantagens era a sua aplicação de dose única, mas pesquisadores também observaram que a fórmula mantém a eficácia contra diferentes variantes do coronavírus SARS-CoV-2.

Para entender a eficácia da vacina da Janssen contra diferentes variantes em circulação, o pesquisador Dan Barouch, do Beth Israel Deaconess Medical Center, nos EUA, e sua equipe coletaram amostras de sangue de pessoas que foram voluntárias nos ensaios clínicos do imunizante. Ao examinar as amostras, a equipe conseguiu avaliar como diferentes tipos de anticorpos respondiam às variantes, bem como células do sistema imunológico chamadas de células-T.

Vacina da Janssen é eficaz contra diferentes variantes do coronavírus, como as encontradas incialmente no Reino Unido, no Brasil e na África do Sul (Imagem: Reprodução/Erika8213/Envato)
Vacina da Janssen é eficaz contra diferentes variantes do coronavírus, como as encontradas incialmente no Reino Unido, no Brasil e na África do Sul (Imagem: Reprodução/Erika8213/Envato)

Segundo o estudo ainda não publicado, os efeitos da vacina da Janssen parecem ser relativamente menores contra a variante Beta (B.1.351), identificada pela primeira vez na África do Sul, e a variante Gamma (P.1), encontrada em Manaus. Nesse sentido, os anticorpos neutralizantes foram menos eficazes contra as duas variantes, mas outros tipos de anticorpos e respostas celulares não parecem ser afetados, informou a equipe.

Por outro lado, a resposta imune da vacina da Janssen parecia totalmente eficaz contra a variante Alpha (B.1.1.7), identificada originalmente no Reino Unido. Por enquanto, não foram revelados detalhes sobre a produção de resposta imunológica em resposta à variante Delta (B.1.671.2), encontrada primeiro na Índia.

Vale lembrar que os pesquisadores ainda não sabem, exatamente, como as medições desses anticorpos se correlacionam com a imunidade do mundo real, ou seja, qual é a porcentagem mínima eficaz para a proteção contra a COVID-19. No entanto, mesmo com a variação de respostas imunológicas observadas dependendo da variante, o consenso é de que a fórmula segue eficaz.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: