Mercado fechado

Saiba como a SpaceX levará astronautas da NASA à ISS pela 1ª vez neste mês

Daniele Cavalcante

Falta pouco para o primeiro lançamento tripulado com a nave Crew Dragon, da SpaceX, rumo à Estação Espacial Internacional (ISS). O voo histórico acontecerá no dia 27 de maio e levará dois astronautas da NASA a bordo. A expectativa é grande porque este lançamento marcará o fim da parceria da NASA com a Rússia para fazer o transporte de seus astronautas à estação orbital - algo que acontece desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais.

Para se independer dos russos, a NASA criou o Commercial Crew Program, no qual financiou a SpaceX e a Boeing para o desenvolvimento de naves capazes de transportar astronautas norte-americanos à ISS. O lançamento do dia 27 é um teste - o último - para a Crew Dragon, mas a ocasião é tão importante que a NASA criou uma página especial sobre a missão, e a SpaceX criou um simulador para que os entusiastas experimentem um pouquinho da sensação de controlar uma nave no espaço.

A missão, chamada Demo-2, decolará em um foguete Falcon 9 do Pad 39A, que fica no Complexo 39 de lançamento do Centro Espacial Kennedy. Os astronautas a bordo serão Doug Hurley e Bob Behnken, e a Crew Dragon deve chegar à ISS cerca de 19 horas depois. Abaixo, vamos explicar passo a passo o que acontecerá desde os preparativos finais até o retorno dos astronautas à Terra.

Astronautas chegam em um Tesla Model X

Foto: Kim Shiflett/NASA

Já que este não é um lançamento qualquer, a chegada dos astronautas à plataforma de lançamento também não será convencional: eles chegarão em um Model X, SUV elétrico da Tesla.

Antes disso, Behnken e Hurley começarão o dia tomando um café da manhã reforçado no alojamento da tripulação, que fica a 14 km da plataforma de lançamento. Em seguida, eles vestirão seus novos trajes espaciais e seguirão para plataforma de lançamento. Devem chegar lá cerca de 3 horas antes da decolagem.

Braço de acesso da tripulação

Foto: SpaceX

Behnken e Hurley entrarão na espaçonave Crew Dragon duas horas e 15 minutos antes do lançamento. O acesso à nave acontecerá através de um braço que serve de ponte para os astronautas. Ele tem 25 metros de comprimento e conecta a Fixed Service Structure (FSS) do Pad 39A à ponta do foguete Falcon 9, onde os astronautas embarcarão na Crew Dragon.

A passarela dos foguetes Falcon 9 é mais alta que a dos ônibus espaciais que costumavam ser lançados a partir do Pad 39A, por isso o novo braço de acesso está cerca de 21 metros acima do braço que esteve conectado ao FSS por 30 anos.

As equipes em terra garantirão que os astronautas estejam em segurança dentro da espaçonave antes de fechar a escotilha, o que acontecerá a menos de 1 hora e 50 minutos do lançamento.

Decolagem

Simulação do lançamento da Demo-2 (Imagem: SpaceX)

Se tudo correr bem, o foguete Falcon 9 vai decolar do Complexo de Lançamento 39A no Centro Espacial Kennedy da NASA em Cape Canaveral, Flórida, na quarta-feira (27 de maio) às 17h32 (horário de Brasília).

Faltando 4 horas e 30 minutos para a decolagem, o 45º Esquadrão Meteorológico da Força Aérea determinará a possibilidade de um bom clima para o lançamento e anunciará uma previsão de lançamento atualizada. Se o clima não cooperar (ou se o lançamento for impedido por qualquer outro motivo), a data de lançamento de backup será o dia 30 de maio.

Retorno do primeiro estágio do Falcon 9

Simulação da separação do booster do Falcon 9 (Imagem: SpaceX)

Cerca de 2,5 minutos após a decolagem, o booster do Falcon 9 se separará do estágio superior do foguete e começará os preparativos para retornar à Terra, com o objetivo de pousar em segurança para ser reutilizado em um próximo lançamento da SpaceX.

Como em outras ocasiões, a empresa pretende pousar o booster no navio-drone "Of Course I Still Love You", que estará a postos no Oceano Atlântico, na costa da Flórida. Essa é uma etapa de bastante expectativa, já que a reutilização do booster é fundamental para diminuir os custos dos lançamentos da SpaceX - e nem sempre o pouso é bem sucedido.

Separação da Crew Dragon

Simulação de separação da cápsula Crew Dragon durante a Demo-2 (Imagem: SpaceX)

Apenas alguns segundos após a separação do primeiro estágio, o segundo estágio do foguete acionará seus motores por cerca de seis minutos. Então, a Crew Dragon, nave onde os astronautas estarão, se separará do segundo estágio e, a partir daí, estará sozinha no espaço.

Depois que a Crew Dragon se separar, ela realizará uma série de manobras para se aproximar gradualmente da Estação Espacial Internacional (ISS), atracando-se à estação de maneira autônoma. Essas manobras elevarão a Crew Dragon até a ISS, que orbita a Terra a uma altitude média de cerca de 400 km.

Ancoragem na ISS

Simulação de ancoragem da Crew Dragon na ISS durante a Demo-2 (Imagem: SpaceX)

Quando a Crew Dragon se aproximar o suficiente da ISS, dentro de uma área de 200 metros ao redor da estação - algo conhecido como "esfera keep-out" -, ela se alinhará à porta de acoplamento. Ali, há algo chamado Pressurized Mating Adapter PMA-2 ("adaptador de acoplamento pressurizado"), que é onde a nave deve acoplar para que os astronautas tenham acesso ao módulo Harmony da ISS.

A nave irá então avançar muito lentamente em direção à estação para o atraque. Se for necessário, os astronautas a bordo também podem assumir o controle manual da espaçonave nesta etapa. A Crew Dragon deve atracar na estação na quinta-feira (28), cerca de 19 horas após o lançamento. A escotilha da ISS está programada para abrir às 14h55 (horário de Brasília).

De 1 a 4 meses no espaço

A NASA e a SpaceX ainda não decidiram exatamente quanto tempo a missão durará, então os astronautas passarão de 30 a 119 dias na ISS . A duração vai depender do estado da nave Crew Dragon e do progresso do próximo lançamento, que está programado para este ano mesmo.

Embora a NASA ainda não tenha certeza se os astronautas da Demo-2 estarão na ISS quando as próximas caminhadas espaciais acontecerem, eles receberam os treinamentos necessários para realizar essa tarefa. A equipe também foi treinada para participar de diversos experimentos científicos em andamento na ISS.

De volta para casa

O procedimento para o retorno da Crew Dragon será muito parecido com o da chegada, só que ao contrário. A nave deve primeiro se afastar lentamente da ISS, antes de realizar manobras maiores. A descida acontecerá em uma sequência de voo durante dois dias.

A Crew Dragon abandona seu módulo de serviço

Simulação da missão Demo-2 (Imagem: SpaceX)

À medida que se aproxima da Terra, a Crew Dragon abandonará seu módulo de serviço antes de realizar a manobra final, que a fará despencar na atmosfera da Terra.

Então, a nave entrará na atmosfera a uma velocidade de cerca de 27.000 km/h. O atrito das partículas na atmosfera criará uma força de arrasto, que faz resistência ao movimento, diminuindo drasticamente enquanto a parte externa da nave se aquecerá a temperaturas quase tão quentes quanto o Sol. Um escudo térmico protege os astronautas contra essas temperaturas extremas, mas a parte externa da espaçonave provavelmente não vai resistir tão bem.

Paraquedas e mergulho

Simulação do retorno da Demo-2 (Imagem: SpaceX)

Depois que a Crew Dragon concluir a fase de reentrada, a nave abrirá seus quatro paraquedas Mark 3, que vão desacelerar o veículo. A partir daí, a queda se torna suave em direção ao Oceano Atlântico, na costa da Flórida.

Uma equipe de busca e recuperação estará esperando nas proximidades do navio "GO Navigator", da SpaceX, para ajudar a equipe da missão Demo-2 a sair da Crew Dragon após o mergulho do oceano. Eles vão içar a nave espacial para fora da água para que ela possa retornar a Cabo Canaveral, onde as equipes da SpaceX e da NASA farão uma inspeção.

A NASA e a SpaceX têm uma lista de critérios que determinarão se a missão Demo-2 poderá ser considerada um sucesso. Isso, claro, inclui a execução impecável de todos os procedimentos listados acima. Se tudo correr conforme o planejado, a SpaceX seguirá com os planos de preparar novas naves para transportar astronautas norte-americanos regularmente à ISS de agora em diante.


Fonte: Canaltech