Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.620,40
    -27,59 (-0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.688,59
    -109,79 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,28
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.764,50
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    61.470,25
    +1.599,01 (+2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.436,36
    -15,28 (-1,05%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.288,75
    +154,25 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4041
    +0,0003 (+0,00%)
     

Saiba como proteger seu avô de golpes online

·3 minuto de leitura

O espaço cibernético é cada vez mais frequentado pelos idosos, graças à popularização dos smartphones. Paralelamente, as tentativas de golpes contra eles têm se tornado mais frequentes.

Durante a pandemia de covid-19, muitos criminosos aproveitaram que muitos têm passado mais tempo online para tentar aplicar golpes. Um levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) aponta que houve aumento de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos no período.

É preciso, então, conversar com eles sobre esses riscos para ajudá-los a se proteger. Um primeiro passo para isso é mostrar na prática como é possível encontrar informações pessoais facilmente no Google. Isso ajuda a demonstrar como é fácil obter informações sobre alguém.

Além disso, vale se oferecer para avaliar a legitimidade mensagens (de e-mail, de texto, no WhatsApp, pop-ups de sites e assim por diante). É importante, ainda, descobrir quais tecnologias eles usam e como.

Imagem: Reprodução/Pixabay/rupert B.
Imagem: Reprodução/Pixabay/rupert B.

Um estudo da Kaspersky e da B2B International identificou, em 2020, que 44% dos entrevistados tinham parentes idosos que já foram vítimas de ciberameaças. Entre os participantes do estudo, apenas 32% informaram conversar regularmente com os idosos sobre as ciberameaças e 34% instalaram um programa de cibersegurança nos dispositivos deles.

Fabio Assolini, pesquisador de segurança sênior da Kaspersky no Brasil, diz que os idosos são um grupo altamente lucrativo para os cibercriminosos. “Eles se aproveitam da desinformação generalizada para espalhar links e arquivos maliciosos", alerta. "É importante que os usuários ter cautela, procurar fontes oficiais de informações e praticar o bom senso."

Para fazê-los ficarem mais confiantes no ambiente virtual, é fundamental conversar com eles sobre as modalidades de golpes mais comuns. Veja, a seguir, os mais frequentes praticados contra eles.

Phishing

O phishing é um golpe que vem por mensagem e contém links que direcionam para malwares ou sites clonados. Pode ser, por exemplo, um comunicado falso do banco pedindo a atualização de informações. Ao entrar no link fornecido, o cliente insere dados pessoais e eles vão diretamente para o golpista. A melhor opção é não clicar em nada recebido dessa forma.

Imagem: Reprodução/mohamed Hassan/Pixabay
Imagem: Reprodução/mohamed Hassan/Pixabay

Golpe romântico

Nesta modalidade, o golpista aborda a vítima, a seduz e, depois de um tempo, pede dinheiro a ela. É comum que eles peçam para conversar fora do app de relacionamento e sempre tenham desculpas para evitar encontros presenciais. Idosos solteiros em busca de romance online devem ser alertados para essa prática. Mostre a eles como se faz pesquisa reversa de imagens para verificar as fotos recebidas.

Golpe da Receita Federal ou da Previdência

Em geral, esses golpes vêm por SMS, e-mail ou ligação. O cibercriminoso diz ser da Receita Federal ou da Previdência (INSS) e tenta obter dados pessoais da vítima. Diga aos idosos que o governo nunca liga ou envia e-mail para pedir dados e que, por isso, eles não devem responder a essas abordagens.

Golpe do suporte técnico

Embora a abordagem seja por telefone, está muito relacionada à internet. O golpista se passa por integrante do suporte técnico de marcas conhecidas, como a Microsoft ou a Apple, e tentar convencer a vítima a informar dados pessoais. Informe os idosos que essas empresas não ligam para o usuário para oferecer suporte técnico. E reforce que eles não devem permitir que o fraudador tenha acesso remoto ao computador, mesmo que ele insista muito.

Imagem: Reprodução/Pixabay
Imagem: Reprodução/Pixabay

Golpe dos netos

Nesta ação, o criminoso primeiramente obtém informações online sobre a vítima e depois liga fingindo ser seu neto. O fraudador diz que precisa de dinheiro com urgência para sair de uma situação ruim e que está com vergonha de pedir aos pais. Explique para seus avós que você nunca fará isso. Além disso, se possível, crie um código com eles, como uma pergunta para a qual só você sabe a resposta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos