Mercado fechará em 13 mins
  • BOVESPA

    112.617,40
    -1.560,15 (-1,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.849,14
    -314,87 (-0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,59
    -1,42 (-1,75%)
     
  • OURO

    1.929,90
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    23.188,65
    +105,42 (+0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,56
    +9,55 (+1,85%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +16,17 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    34.032,96
    +83,55 (+0,25%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.247,00
    +140,25 (+1,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5437
    +0,0240 (+0,43%)
     

Saiba como não cair na malha fina do Imposto de Renda

Receita Federal do Brasil - RFB. Information board of Brazilian Federal Revenue  Brasilia, Federal District - Brazil. January, 03, 2021.
O preenchimento da declaração exige cuidado e atenção (Getty Image)
  • Erros e divergências podem levar a restrição de restituição e pagamento de multa;

  • Especialista explica que é necessário ter cuidado ao preencher a declaração;

  • O ideal é não deixar para fazer de última hora.

É necessário ter cautela na hora de declarar o Imposto de Renda 2022. Isso porque os contribuintes que ficam em situação de restrição para análise pode ter restrições para receber a restituição ou até mesmo pagar multas em casos de comprovação de informações incorretas.

Divergências e erros são as principais razões que podem levar à malha fina. Em entrevista ao G1, Marcos Crivelaro, professor de Finanças do Centro Universitário FIAP deu algumas dicas para evitar a situação.

Veja como não ter problemas na hora de fazer a declaração

Evitar deixar para última hora é uma das medidas que podem ajudar a não cair na malha fina. O especialista explica que o ideal é separar os documentos com antecedência. Além disso, é necessário revisar e comprovar todas as informações antes de enviar.

A Receita Federal pode checar todas as instituições que têm relação com o seu CPF, como bancos, escolas, planos de saúde e empregos que cada um já teve. É muito importante não omitir receita.

Outro ponto de atenção é que dependentes só podem constar em uma declaração de cada vez. Uma mesma pessoa não pode estar em duas declarações.

Evite confundir siglas. O professor reforça que o PGBL permite deduzir até 12% do Imposto de Renda e deve ser declarado em “Pagamentos Efetuados”, enquanto o VGBL, que não é dedutível do IR, deve ser informado na ficha “Bens e Direitos”.

Por fim, se houver alguma informação erradas retifique. É possível realizar a operação até mesmo pelo aplicativo da Receita Federal, evitando problemas futuros e dores de cabeça.