Mercado fechado

Veja como fugir do ‘golpe do delivery’, denunciado por Yasmin Brunet

·2 min de leitura
A modelo Yasmin Brunet conta que perdeu R$ 7.900 em golpe após pedido pelo aplicativo Rappi.
A modelo Yasmin Brunet conta que perdeu R$ 7.900 em golpe após pedido pelo aplicativo Rappi.

Com um prejuízo de R$7,9 mil, a modelo Yasmin Brunet relatou ontem, via Instagram, ter sofrido um golpe após pedido de delivery por aplicativo. No primeiro semestre de 2021, o Procon-SP registrou no estado de São Paulo um aumento de 186% no número de denúncias de golpes por entregadores de aplicativos. O órgão orienta que priorizar pagamentos via celular e redobrar a atenção ao valor são medidas essenciais para não cair no mesmo golpe que a modelo.

De acordo com o Procon-SP, o usuário de aplicativos de entrega pode se precaver seguindo certos procedimentos, como não efetuar o pagamento em máquinas de cartão em que não apareça o valor, priorizar pagamentos via aplicativo e desconfiar de valores adicionais cobrados na hora do pagamento. Em caso de suspeita, o ideal é entrar em contato com o estabelecimento onde a compra foi feita antes de pagar.

Leia também:

Brunet relatou que o suposto entregador teria utilizado uma máquina de cartão em que não aparecia o valor da compra, o que levantou suspeitas. Apenas após efetuar o pagamento, ela entrou em contato com sua operadora de cartão de crédito e descobriu o golpe.

Em comunicado, o Rappi, aplicativo em que a modelo havia feito seu pedido, disse que lamenta o ocorrido e que o caso já havia sido resolvido junta a Brunet. A empresa também alertou que não efetua pagamentos com máquinas de cartão de crédito ou débito.

Golpes de app de delivery disparam, e especialistas dão dicas de segurança

Segundo Renato Opice Blum, especialista em direito digital e vice-presidente da Comissão de Direito e Inovação da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil), a forma “mais simples e objetiva” de evitar golpes é fazer o pagamento exclusivamente pelos aplicativos, evitando pagar qualquer tipo de taxa externa.

Para Blum, “o mais importante hoje em dia em qualquer tipo de transação eletrônica é as pessoas desconfiarem”. “É importante você saber exatamente como trabalha o aplicativo que você usa, sempre estar atento, desconfiando, e a qualquer tipo de dúvida, de procedimento que saia do padrão, aborte a compra, entre em contato com o aplicativo ou dê uma pesquisada no Google na hora”, explica.

Já para Leonardo Watermann, advogado Criminal, sócio do escritório Watermann Sociedade de Advogados e especialista em fraudes contra o consumidor, esses golpes “estão diretamente relacionados com a desatenção, ingenuidade ou descuido do consumidor em relação ao procedimento de uso do aplicativo de compra”.

Assim, ele aconselha que, além de prestar mais atenção e não pagar taxas extras, os clientes dos aplicativos jamais devem passar suas informações pessoais, como nome completo e dados do cartão, por exemplo, pessoalmente ou por telefone. Segundo ele, somente o endereço pode ser fornecido caso o entregador ligue e, mesmo assim, depois disso, é necessário avisar à empresa de delivery que o contato foi feito.

Com informações do G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos