Mercado abrirá em 5 h 25 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,46
    -0,59 (-0,91%)
     
  • OURO

    1.691,10
    +13,10 (+0,78%)
     
  • BTC-USD

    53.730,19
    +3.145,84 (+6,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.082,00
    +57,79 (+5,64%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.589,17
    +48,34 (+0,17%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.421,00
    +123,75 (+1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9757
    +0,0159 (+0,23%)
     

Safra de cana da Tailândia deve se recuperar em 2021/22, diz Czarnikow

·1 minuto de leitura

NOVA YORK (Reuters) - A produção de cana-de-açúcar da Tailândia deve se recuperar na safra 2021/22, já que os preços mais altos pagos pelas usinas aos produtores estão fazendo com que as intenções de plantio aumentem, disse a trading de açúcar Czarnikow em relatório nesta quinta-feira.

A Czarnikow espera que a produção de cana do país do Sudeste Asiático aumente em 30 milhões de toneladas em 2021/22 (outubro a setembro), para 100 milhões de toneladas --o que, consequentemente, vai aumentar a produção de açúcar do país, um dos maiores exportadores do adoçante.

Neste momento, a Tailândia está processando sua safra de cana 2020/21, que foi a menor em 10 anos, com apenas 70 milhões de toneladas. Os preços baixos nos anos anteriores e o clima desfavorável reduziram a safra por duas temporadas seguidas.

A relativa ausência da Tailândia no mercado global de açúcar branco é um dos motivos pelos quais os preços do produto refinado atingiram uma máxima de três anos e meio nesta semana.

De acordo com o relatório, as usinas estão pagando preços recordes pela cana que compram dos agricultores neste ano, projetando um retorno de cerca de 860 dólares por hectare --mais do que o retorno obtido com culturas que competem com a cana pela preferência dos agricultores, como mandioca e milho.

A Czarnikow disse que as condições climáticas também melhoraram na Tailândia, com projeções de chuvas 20% acima dos níveis históricos para o período de fevereiro a abril, o que deve favorecer o desenvolvimento da cana.

(Reportagem de Marcelo Teixeira)