Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,16
    -1,50 (-1,81%)
     
  • OURO

    1.799,50
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    58.893,77
    -1.720,97 (-2,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.411,72
    -62,61 (-4,25%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.727,33
    +98,59 (+0,38%)
     
  • NIKKEI

    28.836,80
    -261,44 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    15.620,75
    +33,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4203
    -0,0044 (-0,07%)
     

Sachsida questiona revisões para baixo do PIB pelo mercado em meio à melhora fiscal e na confiança

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, questionou nesta quinta-feira as revisões para baixo do crescimento econômico que estão sendo feitas por agentes do mercado, defendendo que a melhora fiscal e aumento dos índices de confiança não dão bases para essa piora.

Em coletiva de imprensa, Sachsida disse ainda que mesmo com a expectativa de alta da taxa básica de juros, a Selic ainda ficará em patamar considerado baixo na comparação com dados históricos.

Sobre a inflação, ele reconheceu que o IPCA está alto neste ano, mas frisou que a expectativa da Secretaria de Política Econômica é de avanço de 3,75% para 2022.

"Isso não é uma expectativa de inflação elevada para padrões brasileiros", disse.

Sachsida afirmou ainda ter "firme convicção" que o segundo semestre terá crescimento forte de serviços, o que dará bases sustentáveis para um avanço do PIB de 2,5% no ano que vem.

(Por Marcela Ayres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos