Mercado abrirá em 7 h 46 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,95
    +0,66 (+0,94%)
     
  • OURO

    1.761,60
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    42.406,30
    -3.372,55 (-7,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.058,25
    -76,13 (-6,71%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    24.022,12
    -77,02 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    29.952,88
    -547,17 (-1,79%)
     
  • NASDAQ

    15.078,75
    +69,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2466
    +0,0019 (+0,03%)
     

Sabia que temos um "segundo cérebro"? Agora, a ciência traz novidades sobre ele

·1 minuto de leitura

Você sabia que, dentro de nossos intestinos, existe algo chamado sistema nervoso entérico (SNE), que funciona de forma parecida com as redes neurais do cérebro e da medula espinhal? Não é a toa que ele é chamado pelos cientistas de "segundo cérebro". E com base nesse conhecimento, pesquisadores realizaram um estudo que revelou como esse sistema funciona.

Para encontrar essas respostas, os pesquisadores usaram uma técnica recente que faz a combinação de gravações de vídeo de alta resolução com uma análise da bioeletricidade. Os testes foram feitos em intestinos de ratos, verificando a forma em que o órgão movimenta o que tem dentro dele.

<em>Imagem: Reprodução/Elionas2/Pixabay </em>
Imagem: Reprodução/Elionas2/Pixabay

Então, os cientistas descobriram que os milhares de neurônios do sistema nervoso entérico se comunicam para provocar contrações no trato gastrointestinal, induzindo o processo digestivo. Eles encontraram grupos grandes de neurônios motores excitatórios e inibitórios que impulsionam o conteúdo do cólon mais para baixo do intestino. Antes do estudo, não estava claro como os neurônios eram capazes de se juntar e fazer tudo isso.

Os pesquisadores descobriram também que essa atividade é significativamente diferente da propulsão observada em outros órgãos musculares do organismo que não possuem sistema nervoso embutido, como vasos linfáticos, ureteres ou veia porta. Segundo a equipe, as descobertas sugerem que o sistema nervoso entérico tenha evoluído nos animais muito antes do cérebro chegar à forma atual.

Mais estudos devem ser feitos para descobrir como esse "segundo cérebro" afeta o funcionamento do trato gastrointestinal em diferentes espécies. Você pode conferir o estudo na revista científica Communications Biology.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos