Mercado fechado

Sabesp está preparada para concorrências dentro e fora de SP, diz CEO

Taís Hirata

Segundo o presidente da empresa, grupo está preparado mesmo com as mudanças previstas na nova lei do setor de saneamento no país A Sabesp está preparada para participar de eventuais concorrências que venham a ocorrer no futuro, “independente dos resultados da implementação da nova lei [do saneamento]”, afirmou o presidente da companhia, Benedito Braga, em teleconferência com analistas sobre os resultados do terceiro trimestre.

“A empresa está forte e serena para participar de concorrências para atender outros municípios, sejam no Estado de São Paulo, sejam fora dele”, disse.

O executivo destacou a melhora nos resultados da companhia no terceiro trimestre, impulsionada pelas operações de Guarulhos e Santo André. A companhia registrou um lucro líquido de R$ 1,21 bilhão, avanço de 113,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

O presidente da Sabesp, Benedito Braga, diz que a empresa está preparada para novas concorrências mesmo com a lei nova

Silvia Costanti/Valor

Mauá

A empresa, que vive um processo de regularização de contratos e resolução de pendências com municípios, está em fase avançada de negociação com Mauá (SP), mais uma prefeitura da região metropolitana de São Paulo, segundo Braga.

A ideia é que a Sabesp fique responsável pela operação de distribuição de água em Mauá, que acumula dívidas bilionárias com a empresa. Na cidade, o grupo privado BRK Ambiental já tem contrato para operar a rede de esgoto.

A Sabesp começou a negociação há meses com a então prefeita Alaíde Damo (MDB), que ocupava o cargo enquanto o prefeito Átila Jacomussi (PSB) estava afastado, por decisão da Câmara de Vereadores. Em setembro, Átila retomou o posto, por decisão judicial.

“As tratativas continuam, a Câmara está analisando o plano. Temos aí a perspectiva de fechar toda a região metropolitana de São Paulo, com a exceção de São Caetano.”