Mercado fechará em 6 h 49 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,24
    -0,42 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.775,30
    -7,60 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    30.000,43
    -2.241,62 (-6,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    715,63
    -134,72 (-15,84%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.085,07
    +22,78 (+0,32%)
     
  • HANG SENG

    28.309,76
    -179,24 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.126,00
    -4,00 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9829
    +0,0076 (+0,13%)
     

Sabalenka é campeã em Madri; Zverev e Berrettini se enfrentam na final masculina

·3 minuto de leitura

A bielorrussa Aryna Sabalenka se sagrou campeã do Torneio de Madri neste sábado ao vencer a número 1 do mundo Ashleigh Barty por 6-0, 3-6 e 6-4, enquanto que no masculino o alemão Alexander Zverev e o italiano Matteo Berrettini, número 10 do mundo, se classificaram para a final deste domingo.

Sabalenka, de 23 anos, conquistou o décimo e mais importante título de sua carreira, vingando-se do Torneio de Stuttgart, onde a australiana havia vencido.

Com seu primeiro troféu no saibro, a bielorrussa garante, aliás, estar entre as cinco primeiras do mundo a partir de segunda-feira, poucas semanas antes de Roland Garros, no qual Barty continua a ser a grande favorita apesar desta derrota.

Imparável neste torneio WTA 1000 em Madri, Sabalenka mais uma vez exibiu seu jogo de ataque para superar a australiana em uma hora e 41 minutos e interromper a sequência de vitórias de Barty de 16 jogos no saibro europeu.

- 'Uma semana incrível' -

É a primeira vez que Barty perde uma final nesta temporada, tendo vencido em Melbourne, antes do Aberto da Austrália, em Miami no início de abril, e depois no saibro alemão.

"Para ser sincera, depois da final de Stuttgart eu me machuquei, não pude me mover e quis me retirar", disse Sabalenka na quadra após a partida.

"Mas me recuperei bem, em quatro dias me senti melhor e agora sou campeã. Foi uma semana incrível", acrescentou.

"Algo mudou na minha cabeça, não tenho mais medo desta superfície. Me sinto mais confiante, compreendi que posso jogar bem no saibro", garantiu Sabalenka.

Sabalenka começou forte vencendo o primeiro set com um retumbante 6-0, mas Barty reagiu no segundo set, ajudada por uma queda de rendimento da bielorrussa, levando o segundo set, o primeiro que Sabalenka perdeu no torneio.

No terceiro set, com 4-4 no placar, Sabalenka quebrou o saque da adversária e chegou a 5-4 fechando a partida e conseguindo a vitória com seu saque.

Sabalenka sucedeu no trono a holandesa Kiki Bertens, vencedora em 2019, já que em 2020 o torneio não foi realizado devido à pandemia de covid-19.

- Zverev e Berrettini fazem final masculina -

Pela manhã, o alemão Alexander Zverev se classificou para a final masculina, após vencer o austríaco Dominic Thiem em dois sets: 6-3 e 6-4.

Zverev, vencedor do Masters 1000 de Madrid em 2018, vai encarar agora o italiano Matteo Berretini que derrotou o norueguês Casper Ruud por 6-4 e 6-4.

Berrettini vai disputar pela primeira vez uma final de Masters 1000. "Estou muito feliz porque acho que fiz uma partida muito intensa e boa", disse o tenista italiano após a partida.

Já Thiem não conseguiu se vingar da final de 2018, em que perdeu para Zverev, apesar de ter vencido os últimos quatro duelos entre os dois, incluindo a final do último US Open, em agosto passado.

Zverev, que na sexta-feira havia derrotado o segundo do mundo, Rafael Nadal, não deu chances ao adversário, mostrando-se mais agressivo diante de Thiem, que rapidamente perdeu energia e acabou pagando pelos dois meses que ficou longe das quadras devido às condições causadas pela pandemia.

"Foi melhor do que eu esperava", disse Thiem, que reconheceu que seu rival "jogou muito bem servindo a 227, 228 e, portanto, você não pode fazer muito. Foi melhor".

Duas quebras de serviço em cada set foram suficientes para o alemão conquistar a vitória em pouco mais de uma hora e meia.

"No geral foi um bom jogo, mas o trabalho não acabou. Espero manter o nível na final", disse Zverev.

O alemão, de 24 anos, tentará se tornar o primeiro jogador ativo fora dos 'Big Four' (Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray) a conquistar pelo menos quatro Masters 1000 neste domingo, sendo sua oitava final neste tipo de torneio.

es-gr/mcd/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos