Mercado abrirá em 2 h 23 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,84
    +0,20 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.724,90
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    49.138,42
    +1.893,19 (+4,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    988,59
    +1,94 (+0,20%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.618,11
    +29,58 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    29.095,86
    -356,71 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    29.408,17
    -255,33 (-0,86%)
     
  • NASDAQ

    13.222,75
    -57,00 (-0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7721
    -0,0235 (-0,35%)
     

Saúde solicita entrega de todas as doses da CoronaVac; SP deve recorrer ao STF

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

Na corrida para iniciar a imunização dos brasileiros contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), nesta sexta-feira (15), o Ministério da Saúde solicitou a entrega, de forma imediata, de todas as seis milhões de doses da vacina CoronaVac. A solicitação foi feita através de ofício encaminhado para Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. Desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e pelo Instituto Butantan, em São Paulo, a fórmula foi alvo, até o momento, de campanhas de desinformação devido à sua origem.

Na solicitação, o diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias, afirmou ser necessária a disponibilização imediata das seis milhões de doses — importadas da China — e que estão sendo analisadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a autorização de uso emergencial no Brasil.

Ministério da Saúde solicita entrega imediata de todas as doses da vacina CoronaVac (Imagem: Reprodução/ Thirdman/ Pexels)
Ministério da Saúde solicita entrega imediata de todas as doses da vacina CoronaVac (Imagem: Reprodução/ Thirdman/ Pexels)

"Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este Ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a COVID-19", afirma um trecho do documento.

Vacina de Oxford ou CoronaVac?

Nacionalmente, o início das vacinações contra a COVID-19 está marcado para a próxima quarta-feira (20), segundo informou o Ministério da Saúde. No entanto, nesta sexta-feira (15), uma das principais apostas do governo, a vacina de Oxford contra o coronavírus, não deve chegar a tempo. Para isso, duas milhões de doses deveriam ser importadas da Índia, mas o governo indiano afirmou que não deve atender, por enquanto, a demanda brasileira.

Dessa forma, a outra opção para o início da vacinação será a vacina CoronVac, que já chegou ao país. No entanto, não estava nos planos do governo de São Paulo entregar todas as doses para o governo federal. Responsável pelos acordos comerciais com a vacina, o governo de SP deve recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal), segundo apurou o UOL. Nos últimos dias, o estado já recorreu à justiça no caso das seringas.

[UPDATE 16/01, 16h50]: Neste sábado (16), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as doses de Oxford, que estavam previstas para chegar da Índia ao Brasil, devem sofrer um atraso e chegar entre segunda e terça-feira, conforme apurou a CNN. Aliás, a Índia iniciou sua campanha de vacinação também neste sábado — e pode ter sido este o motivo para adiar a chegada das doses no Brasil, que estava marcado para o mesmo dia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: