Mercado abrirá em 7 h 2 min

Saída de Johnson alivia libra mas Reino Unido continua em apuros

(Bloomberg) -- A renúncia do primeiro-ministro Boris Johnson pode ter aliviado a sensação de caos político no Reino Unido, mas não resolverá os problemas profundos que assolam a economia britânica.

Essa é a opinião de investidores e estrategistas de mercado, que disseram que ainda estão pessimistas em relação aos ativos britânicos depois da notícia de que Johnson deixaria o cargo. A reação imediata do mercado foi positiva, com a libra subindo até 0.8% acima de US$ 1,20. O FTSE 100 também registrou ganhos ao lado de outros índices de ações globais.

Mas o mercado não tem muita confiança no rali. A libra já caiu 11% este ano e está cada vez mais à mercê do sentimento de risco global. Os investidores estão mais preocupados com o rumo da política monetária do Banco da Inglaterra do que com quem reside em Downing Street. E mesmo assim, o chefe do BC britânico Andrew Bailey e seus colegas dizem que há um limite para o que podem fazer diante das interrupções de fornecimento no comércio global e dos custos exorbitantes de energia.

“Não acredito que essa demissão tenha grande impacto nos mercados”, disse Michel Keusch, gestor da Bellevue Asset Management. “Não acho que isso vá mudar muita coisa.”

A reação é um enorme contraste em relação à época de negociações do Brexit. Mesmo nos primeiros meses do mandato de Johnson, a libra subiu quando ele substituiu seu chanceler.

Isso foi antes da pandemia e da guerra na Ucrânia abalarem os mercados. Com a inflação mais alta em quatro décadas, substituir Johnson não será suficiente para mudar o curso da libra por si só.

Espera-se que o BOE se mova mais lentamente do que o Federal Reserve no aperto monetário por causa da fraqueza da economia do Reino Unido. Para os operadores de câmbio, essa diferença de taxa de juros torna a libra menos atraente.

“Há uma cacofonia de problemas à espera do próximo primeiro-ministro, inclusive a crise do custo de vida que causa tanta dor financeira aos eleitores”, disse Susannah Streeter, analista sênior de investimentos e mercados da Hargreaves Lansdown.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos