Para S&P, mercado secundário daria liquidez a projetos

A presidente da Standard & Poor's para o Cone Sul, Regina Nunes, afirmou que a criação de um mercado secundário de ativos de infraestrutura é fundamental para estimular investimentos no setor. Segundo ela, o governo tem condições de criar este mercado em dois anos, que poderia contar com alguns agentes fomentadores do fluxo de papéis, que eventualmente poderiam ser o Banco Central ou o BNDES. Ela fez os comentários no intervalo do seminário "Financiamento para o Desenvolvimento", da série de Fóruns Estadão Brasil Competitivo, promovido pelo Grupo Estado em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo Regina, o mercado secundário seria fundamental para dar liquidez aos projetos de infraestrutura, que por natureza são muito intensivos na aplicação de capitais, por períodos de tempo prolongados. "E essa liquidez é muito importante para que não haja descasamento cambial para quem toma empréstimos. O fundamental é que o funding seja obtido na mesma moeda na qual a empresa gera receitas", ponderou.

Carregando...