Mercado abrirá em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,35
    +0,59 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.799,10
    +2,80 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    62.418,64
    +1.532,11 (+2,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.225,04
    +20,49 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.119,21
    -7,72 (-0,03%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.372,25
    +31,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5781
    -0,0027 (-0,04%)
     

Súmula revela pressão do Atlético-MG contra arbitragem no jogo contra o Santos

·2 minuto de leitura


O trio de arbitragem e os responsáveis pelo VAR foram muito pressionados por dirigentes do Atlético-MG na vitória por 3 a 1 diante do Santos, nesta quarta-feira, no Mineirão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

De acordo com a súmula da partida, o auxiliar técnico do clube mineiro, Eudes Pedro, e o executivo de futebol, Rodrigo Caetano, protestaram contra os integrantes da arbitragem no primeiro tempo do jogo.

O Atlético-MG reclamou bastante de dois supostos pênaltis não marcados no primeiro tempo, ambos em lances envolvendo o zagueiro Wagner Leonardo. Nenhum deles foi marcado.

- Informo que, após o término do primeiro tempo, no momento em que a equipe de arbitragem se encontrava no corredor de acesso ao vestiário, alguns membros da equipe do Clube Atlético Mineiro questionavam as decisões da arbitragem de forma veemente. Ressalto que o Senhor Eudes Pedro dos Santos, funcionário do Clube Atlético Mineiro, no momento acima referido, pronunciou aos gritos os seguintes dizeres de forma grosseira e ofensiva em direção a equipe de arbitragem: "Aqui ninguém vai nos roubar". Diante de tal situação, informo que me senti ofendido em minha honra e moral. Informo ainda que, aos 41 minutos do primeiro tempo, o Sr. Rodrigo Vila Verde Caetano, diretor de futebol da equipe do Clube Atlético Mineiro, o qual foi identificado pelos funcionários da equipe que fazia a segurança do lado de fora desta cabine, desferiu chutes e socos na porta da sala VAR e proferiu os seguintes dizeres de forma ofensiva e grosseira "Seus ladrões, parem de roubar, nós não vamos aceitar isto mais". Ressalto que esta situação foi reportada pelos membros da equipe da sala VAR ao final da partida - diz a súmula do jogo desta quarta-feira.

No segundo tempo, o Atlético-MG teve dois pênaltis duvidosos a seu favor, ambos marcados pelo árbitro de vídeo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos