Mercado abrirá em 8 h 49 min

Só automático: Citroën C4 Cactus perde versão manual e tem preço inicial de R$ 89.990

br.info@motor1.com (Nicolas Tavares)
·2 minuto de leitura
Citroen C4 Cactus Feel
Citroen C4 Cactus Feel

Variante com pedal de embreagem foi retirada de linha por procura baixa

Encontrar um crossover compacto com transmissão manual está cada vez mais difícil. O Citroën C4 Cactus seguiu a estratégia do Peugeot 2008 e, a partir deste mês, será vendido somente com câmbio automático de 6 marchas. A versão 1.6 Live, que custava R$ 75.090, não é mais oferecida no configurador da marca no país, fazendo com que a variante mais barata seja o 1.6 Live AT, por R$ 89.990.

Consultada por Motor1.com, a Citroën diz que a procura pelo C4 Cactus 1.6 Live manual era muito baixa e decidiu focar nas variantes automáticas. A empresa não revelou qual era a porcentagem de participação da versão manual dentro de toda a linha do crossover compacto. O exemplo foi o Peugeot 2008, cuja versão manual não chegava a 10% de participação para o 1.6 aspirado, o que não justificava o custo de produção.

Mesmo com o fim de uma das configurações, o crossover francês segue com seis versões disponíveis, quatro delas com o 1.6 aspirado de 122 cv e 16,4 kgfm, e as duas mais caras com o 1.6 turbo de 173 cv e 24,5 kgfm. Os valores variam entre R$ 89.990 e R$ 115.990, sem contar os opcionais – um C4 Cactus Shine 1.6 THP pode custar até R$ 120.166 com todos os itens cobrados à parte, sem contar uma pintura especial.

Citroën C4 Cacto x Nissan Kicks
Citroën C4 Cacto x Nissan Kicks
Citroën C4 Cacto x Nissan Kicks
Citroën C4 Cacto x Nissan Kicks

Colocar as fichas no C4 Cactus fas sentido para a Citroën. O crossover compacto é o seu carro mais vendido no país, com 7.386 unidades emplacadas entre janeiro e setembro, o que o coloca na 10ª posição do segmento, à frente do primo Peugeot 2008 e em uma disputa de posição com o Renault Captur, 9º colocado e com 7.818 unidades emplacadas.

Leia também:

O futuro do Citroën C4 Cactus no Brasil ainda é uma incógnita. Saiu de linha na Europa, substituído pela nova geração do C4, que tornou-se um crossover sem usar o nome “Cactus”. Oficialmente, a marca diz que o carro não está ameaçado, sem dar detalhes de como será o seu destino. A fabricante já iniciou a preparação da fábrica em Porto Real (RJ) para montar modelos com a plataforma modular CMP, usada pelo novo C4 e que será usada por uma nova linha de carros, incluindo um hatch, sedã e crossover. Quem sabe não veremos a próxima geração do C4 Cactus semelhante ao modelo europeu nos próximos anos?