Mercado abrirá em 1 h 8 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,99
    -0,36 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.787,80
    -5,30 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    54.826,70
    -147,01 (-0,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.271,88
    +8,92 (+0,71%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.899,37
    +4,08 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.893,00
    -26,25 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6457
    -0,0563 (-0,84%)
     

Síria suspende importação de celulares para economizar sua moeda

·1 minuto de leitura
Homem observa celulares em loja na capital Damasco, Síria

O Ministério sírio da Economia suspendeu as importações de celulares "até novo aviso" - informou nesta quarta-feira (24) o jornal oficialista Al-Watan, em meio a uma crise econômica que prioriza a importação de bens essenciais.

Devastada pela guerra iniciada em 2011, a economia da Síria também sofre com as sanções ocidentais e com os efeitos da crise financeira no vizinho Líbano.

Em uma circular, o Ministério pede às administrações provinciais para "não aceitarem os pedidos de importação de celulares, ou fornecer novas permissões para fazê-lo", informa.

Esta iniciativa faz parte de "uma série de medidas", cujo objetivo é frear o colapso da libra recorrendo, em parte, à "interrupção das importações de produtos considerados secundários", diz uma fonte financeira consultada pelo Al-Watan.

Além disso, as autoridades afirmaram que existe "uma disponibilidade" suficiente de celulares no mercado.

Embora o câmbio oficial seja de 1.256 libras sírias por dólar, a moeda caiu no mercado paralelo, variando atualmente entre as 4.000 e 4.500 libras por dólar.

Esta decisão "vai melhorar a taxa de câmbio", porque "a demanda do dólar no mercado paralelo, ou no Banco Central, diminuirá temporariamente", disse um economista em Damasco, sob condição de anonimato.

Após este anúncio, foi constatado um aumento dos preços.

"Obviamente, os preços dos celulares disponíveis no mercado vão aumentar em função da oferta e da demanda", afirmou Greiss, proprietário de uma loja do ramo em Damasco.

Ele também teme o "monopólio" que pode ser exercido pelos grandes comerciantes, "que controlarão os preços de determinados modelos mais procurados do que outros".

mam/lar/tgg/hj/age/mv/aa/tt