Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,41
    -0,09 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.768,60
    -2,60 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    22.828,67
    -629,57 (-2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    542,04
    -15,69 (-2,81%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.680,12
    -83,79 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.969,90
    +27,76 (+0,10%)
     
  • NASDAQ

    13.493,00
    -30,25 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2059
    -0,0079 (-0,15%)
     

Síndicos devem estar atualizados e treinados para desempenhar a função

·4 min de leitura
*arquivo* São Paulol, SP , BRASIL- 26-08-2015: Prédios no bairro de Perdizes, zona Oeste de São Paulo. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
*arquivo* São Paulol, SP , BRASIL- 26-08-2015: Prédios no bairro de Perdizes, zona Oeste de São Paulo. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Dia do Síndico, comemorado na próxima terça-feira (30), celebra um papel essencial na dinâmica de gestão do condomínio. Além de dedicar tempo ao trabalho, síndicos e especialistas recomendam adquirir conhecimento técnico para atuar na função, já que a tendência é de uma profissionalização cada vez maior na área.

"O síndico deixou de ser somente aquela pessoa que quebra galho e passou a ser alguém que precisa estar preparado para responder problemas, representar e proteger o condomínio. Isso fez com que ele tomasse um corpo de responsabilidade e notoriedade no mercado condominial", diz Alexandre Prandini, síndico profissional.

Nesse contexto, a figura do síndico profissional cresce, ou seja, muitos condomínios estão contratando profissionais externos para exercer a função. Isso porque, de acordo com Prandini, o trabalho de síndico exige cada vez mais tempo e qualificação. "Cada condomínio tem uma particularidade e precisa de uma pessoa que saiba um pouquinho de tudo", afirma.

"É multidisciplinar, ou seja, o síndico fala sobre parte hidráulica, elétrica, seguros, direitos, deveres, convenção, Código Civil. Somos obrigados pela força do cargo a ir se especializando, ganhando conhecimento", afirma Roger Prospero, síndico profissional.

Mesmo assim, a figura do síndico morador não está extinta. Além de profissional, Prospero também atua na função em seu próprio condomínio há 11 anos e afirma que a motivação para ser síndico não costuma ser somente a isenção da taxa condominial.

"Se a pessoa enxerga nisso somente a oportunidade de não pagar condomínio, o tempo que você vai precisar dispor e o nível de exigência necessário não compensam. É um desafio e uma responsabilidade, já que seu CPF ou CNPJ ficam atrelados ao condomínio", argumenta.

Para Angélica Arbex, diretora de Marketing e Inovação da Lello Condomínios, o que motiva o síndico morador é a disposição de ajudar a comunidade que vive em seu prédio.

"Um fator decisivo para que um morador decida ser síndico é a capacidade e o poder que o síndico tem de realizar mudanças naquele ambiente. Não há uma motivação maior, visto que essas transformações interferem direto no maior patrimônio das pessoas, que é o seu imóvel", diz.

Há 8 anos, Paulo Werneck, 45, é síndico do condomínio onde mora. Para ele, a vantagem é estar sempre perto da vivência dos moradores para resolver os problemas. No entanto, a desvantagem também está na proximidade.

"Você pode tomar atitudes que não deixem seu vizinho contente e encontrá-lo no elevador praticamente todos os dias", relata. "Em um sábado, domingo ou fora do horário do expediente, esse vizinho pode querer que você esteja preparado para responder sobre o condomínio."

Os profissionais reforçam que, além das responsabilidades previstas no Código Civil, o síndico deve cumprir com a legislação municipal, estadual e com outras tarefas. Ética, bom senso e estar atualizado em relação à inclusão, transformações digitais e sustentabilidade são pontos de atenção citados pelos especialistas.

"Por exemplo, entrou em vigor recentemente a lei que obriga o síndico a reportar casos de violência doméstica. Se o síndico for omisso nessas situações, ele pode responder um processo criminal", afirma Werneck.

Saiba mais | síndico

Síndico morador

- É um condômino que assume a gestão do condomínio

- Vantagens:

Participa da rotina do condomínio

Mais familiarizado com as necessidades e os moradores do condomínio

Orçamento reduzido para o condomínio (geralmente, o síndico recebe isenção da taxa condominial)

- Desvantagens

Pode ser contatado a qualquer momento pelos condôminos (à noite ou em fins de semana)

Pode precisar disponibilizar seu tempo de lazer e descanso para a gestão do condomínio

Caso não faça cursos de síndico ou gestão, pode não ter conhecimento suficiente para todas as necessidades

- Síndico profissional

É um profissional externo contratado como prestador de serviço para a gestão do condomínio (pode fazer parte da equipe da administradora)

- Vantagens:

Trabalha em horário comercial

Relação imparcial com os condôminos

Tem mais experiência em gestão condominial e assuntos contábeis, jurídicos e interpessoais

- Desvantagens

Maior investimento para contratação do profissional

Não está presente no dia a dia do condomínio

- Responsabilidades do síndico:

Segundo o art. 1.348 do Código Civil, responsabilidades do síndico incluem:

convocar a assembleia dos condôminos

representar o condomínio

cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia

conservar e guardar as partes comuns do condomínio

zelar pela prestação dos serviços

elaborar o orçamento da receita e da despesa anual

cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas

prestar contas à assembleia, anualmente e quando exigidas

realizar o seguro da edificação

Além disso:

O síndico deve seguir a legislação municipal e estadual

exemplo: obrigatoriedade de denunciar violência doméstica em São Paulo

Zelar pelo bem estar e segurança dos condôminos

Mediar conflitos

Pensar e agir pela inclusão dos condôminos

Buscar alternativas de sustentabilidade no condomínio

Treinar os profissionais do condomínio

Fontes: Alexandre Prandini, síndico profissional da Mr. Síndico; Paulo Werneck, síndico morador e profissional; Roger Prospero, síndico proprietário da Prospero Prestação de Serviços de Síndico Profissional

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos