Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.315,26
    -227,29 (-0,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Série Radeon RX 7900 pode ter problema no cooler que causa aquecimento

Após relatos de alguns usuários sobre temperaturas de até 110 ℃ e consequente gargalo de desempenho, o overclocker Der8auer realizou uma investigação aprofundada em modelos afetados das novas AMD Radeon RX 7900 XT e RX 7900 XTX. Com resultados consistentes independentemente das modificações feitas, os testes realizados indicaram que a série pode ter um problema no design da câmara de vapor utilizada para resfriamento, o que pode trazer dores de cabeça à AMD.

Nas últimas semanas, alguns donos das placas de vídeo estreantes da AMD relataram inconsistências no desempenho das GPUs, notando ainda que o hot spot (ponto mais quente do chip detectado pelos sensores) atingia os 110°C, valor extremamente alto e arriscado para esse tipo de componente, além de possível responsável pelos problemas de performance. O número de relatos foi expressivo o suficiente para chamar atenção de especialistas, como Der8auer, que realizou nos último dias um teste amplo para tentar desvendar a origem da falha.

Esta é, na verdade, a segunda bateria de avaliações feitas pelo overclocker, que havia apontado para o superaquecimento no mês passado, levando a uma resposta padrão da AMD de que os números obtidos eram normais. O crescimento da quantidade de usuários afetados fez a companhia mudar de postura e solicitar que os consumidores entrassem em contato caso constatassem as altas temperaturas. No entanto, o problema pode ser mais complicado, em virtude de uma possível falha de design.

O Hot Spot (ponto mais quente da GPU) de algumas das Radeon RX 7900 XT e XTX atingem 110 ℃, valor extremamente alto que pode gerar instabilidades e problemas sérios a longo prazo (Imagem: Der8auer)
O Hot Spot (ponto mais quente da GPU) de algumas das Radeon RX 7900 XT e XTX atingem 110 ℃, valor extremamente alto que pode gerar instabilidades e problemas sérios a longo prazo (Imagem: Der8auer)

Como destaca Der8auer, desmontar e remontar as placas, e até reaplicar a pasta térmica não mostram resultados. O criador de conteúdo decidiu então avaliar se a gravidade — que puxa o cooler e acaba afastando o heatsink da GPU dependendo da posição de instalação — seria o fator responsável, avaliando as estatísticas de múltiplas placas obtidas de usuários que relataram o aquecimento posicionadas na horizontal, na vertical e até levemente inclinadas, removendo também o suporte das ventoinhas para aproximar o heatsink do chip.

Nenhuma das mudanças resolveu o problema, fazendo com que o overclocker realizasse um último teste um tanto extremo: rodando o benchmark FurMark, desenvolvido para estressar placas de vídeo ao limite, Der8auer girou uma das placas coletadas da vertical para a horizontal, observando logo em seguida a chegada do hot spot aos 110 ℃. Nem mesmo retornar a placa à vertical foi suficiente para reduzir o calor.

Girar a placa no meio de um teste extremo reforça a teoria de que há um problema de design na câmara de vapor, impedindo que o líquido resfriante retorne e continue a dissipar calor (Imagem: Der8auer)
Girar a placa no meio de um teste extremo reforça a teoria de que há um problema de design na câmara de vapor, impedindo que o líquido resfriante retorne e continue a dissipar calor (Imagem: Der8auer)

Com esses resultados, o especialista conclui que o real problema está no design da câmara de vapor, um enorme heat pipe colocado sobre chips para agilizar a dissipação de calor. Ele acredita que há alguma falha interna que esteja atrapalhando o fluxo da água presente na câmara, ponto que ganha forças pelas diferenças observadas quando a placa é reposicionada.

O problema não é apenas incômodo, levando, por exemplo, as ventoinhas a saírem de menos de 1.800 rotações por minuto (RPM) para quase chegarem aos 3.000 RPM sem realmente conseguirem resfriar a placa, como ainda gera instabilidades no desempenho e pode eventualmente ocasionar em algo mais grave. Por se tratar de uma falha de design, e ter recebido relatos de mais de 48 usuários, Der8auer acredita que o time vermelho pode ter um problema sério, sendo obrigado a realizar um recall total.

É preciso reforçar ainda que o problema parece afetar apenas o modelo de referência das novas Radeon RX 7000, feito pela própria AMD. As variantes customizadas, desenvolvidas por parceiras como MSI e ASUS, não devem sofre do mesmo mal por contarem com soluções de resfriamento diferentes.

Outro ponto importante, especificamente para o Brasil, é que ambas só estão disponíveis na versão de referência por aqui, apesar de serem comercializadas pelas fabricantes parceiras. Caso tenha comprado uma das novas GPUs, a recomendação é acompanhar as temperaturas e o desempenho, e entrar em contato com a AMD se alguma das falhas relatadas forem observadas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: