Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.363,07
    -482,73 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

São Paulo já aplica segunda dose da AstraZeneca com intervalo menor

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 -  São Paulo inicia a vacinação COVID -19 (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 - São Paulo inicia a vacinação COVID -19 (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Municipal da Saúde afirmou que começa a valer nesta quarta-feira (27) a redução no intervalo de 12 para 8 semanas entre a primeira e a segunda dose da vacina AstraZeneca contra a Covid-19. A mudança foi anunciada na noite de terça (26) pela Secretaria Estadual da Saúde.

De acordo com a gestão Ricardo Nunes (MDB), a medida deverá atingir cerca de 200 mil pessoas a partir de 18 anos que tomaram a segunda dose há 56 dias —adolescentes só podem ser imunizados com a vacina da Pfizer, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O número estimado é o mesmo de doses recebidas na última segunda (25) do imunizante produzido no Brasil pela Fiocruz, segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido. "Com o estoque abastecido é possível seguir a redução do intervalo entre a primeira e segunda dose do imunizante da AstraZeneca", afirma, em nota.

No estado de São Paulo são cerca de 400 mil pessoas beneficiadas, de acordo com o governo João Doria (PSDB), e atinge, inclusive, os últimos grupos adultos que tomaram a primeira, ou seja, pessoas a partir de 18 anos que começaram a ser imunizadas em 14 de agosto passado.

A cidade de São Paulo enfrentou nos últimos dias falta de vacinas da AstraZeneca. Porém, quem não encontrar o imunizante pode ser vacinado com a da Pfizer. O site "De Olho na Fila" mostra quais vacinas os postos têm para segunda dose.

A capital segue com o esquema tradicional de vacinação para primeira e segunda doses, além da adicional para pessoas a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde com mais de 18 anos que tomaram a última dose do esquema vacinal há pelo menos seis meses, exceto grávidas e puérperas.

A dose adicional também permanece liberada para pessoas a a partir de 18 anos que tenham alto grau de imunossupressão. Para esse grupo, com mais de 18 mil cidadãos, é preciso ter tomado a segunda dose ou dose única há pelo menos 28 dias.

Guardas-civis municipais e sepultadores e servidores que trabalham na fiscalização também podem tomar a dose adicional, mas da Coronavac e também após seis meses da última imunização. Os demais grupos são vacinados com Pfizer.

O calendário ainda prevê a aplicação de segunda dose para adolescentes a partir de 12 anos. Somente 4% dos jovens (35,7 mil) que receberam a primeira dose (861.6 mil) haviam completado a imunização até às 13h desta terça.

Ao todo, foram aplicadas 19.819.658 doses de vacinas antiCovid, sendo 10.491.026 primeiras doses, 8.252.339 segundas doses, 327.376 doses únicas e 748.917 doses adicionais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos