Mercado abrirá em 4 h 17 min

Foi lindo, diria Abel: São Paulo 1 x 5 Internacional

Mauro Beting
·2 minuto de leitura
Yuri Alberto foi o nome da espetacular vitória colorada no Morumbi FOTO Alexandre Schneider/Getty Images

Atlético Mineiro e Inter. O título parece estar entre eles. O São Paulo segue na luta. Mas, hoje, de luto.

Oito vitórias seguidas (uma delas na Bombonera). Não é qualquer coisa. Mas 5 a 1 no Morumbi ainda que sem torcida? (E, se tivesse, talvez fosse ainda pior para um São Paulo tão pressionado quanto nervoso, e tão indisposto como esteve em paulada histórica contra um Inter imperial como foi na primeira decisiva da Libertadores em 2006).

Com o mesmo Abelão na casamata colorada...

Treinador que levou o São Paulo a conhecer sua pior derrota em 60 anos de Morumbi.

O Inter não costuma marcar tão em cima e tão alto no gramado, pressionar pós-perda de bola lá na frente, fazer o arrastão na saída de bola rival. Mas foi essa a surpresa tática que Abelão aprontou pra cima de Diniz. Com 1 minuto, o iluminado Yuri Alberto já finalizou depois de uma bola retomada; aos 4, Cuesta quase fez em lance de bola parada; aos 7, deu tudo certo para o novo líder do BR-20: Moisés botou a bola na cabeça de Cuesta largado por Leo para abrir o placar.

O São Paulo só foi entrar no jogo em um tiro de longe de Sara, aos 23. Mas só para o Colorado responder em belo contragolpe que Yuri Alberto serviu para Caio Vidal marcar o segundo gol que poderia ser mais, depois de falha de passe de Juanfran, aos 25. O ex-líder só fez algo que valesse no péssimo primeiro tempo mal jogado, mal marcado e muito nervoso antes mesmo do gol gaúcho. Quando Luciano, pela enésima vez, aproveitou lance bem ensaiado para diminuir o placar que caiu do céu para o time paulista, aos 35.

Foi a melhor atuação da equipe de Abel no BR-20 no primeiro tempo. E mais um tempo muito ruim do São Paulo. Diniz fez o que qualquer um faria: mexeu no time depois do intervalo, com Vìtor Bueno e Igor Gomes que foram pro jogo, substituindo Leo e Sara. Luan foi pra zaga, Daniel Alves (em outra má jornada) ficou mais atrás com Tchê Tchê, e Vitor Bueno tentou abrir o jogo pela esquerda.

O São Paulo voltou bem melhor, ainda que naturalmente dando espaço para o contragolpe colorado. Abel mais uma vez colocou a marcação mais baixa. Mesmo assim ganhou de presente a zilionésima saída errada e desnecessária são-paulina fez com que Vitor Bueno fosse desarmado e Yuri Alberto (o melhor em campo) marcou o terceiro, aos 14. E faria o belo quarto gol aos 20, em linda enfiada de Peglow. Aos 22, outro passe bisonho de Daniel Alves deu no contragolpe para Yuri Alberto fazer mais um.

Foi a melhor partida do Inter em meses. E mais uma atuação desastrada do São Paulo em anos e em momentos decisivos nos piores anos tricolores.