Mercado fechado

São Paulo inicia testes com estudantes de escolas estaduais e privadas

·2 minutos de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Municipal da Saúde iniciou na última terça-feira (1º) a terceira fase do inquérito sorológico que vai definir a volta às aulas na cidade de São Paulo. Nesta fase, a gestão Bruno Covas (PSDB) vai testar crianças e adolescentes de 4 a 14 anos que estudam em escolas de escolas municipais, estaduais e particulares. Nas duas primeiras etapas do inquérito sorológico foram testados apenas matriculados em colégios da rede municipal. Ao todo, serão quatro etapas e 24 mil estudantes envolvidos. Esta terceira fase da pesquisa está sendo feita com 6.000 alunos. A seleção dos alunos, segundo a secretaria, é feita por meio de sorteio realizado pelas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da região da criança e do adolescente, pela base de dados dos alunos cadastrados em cada rede de ensino. A escolha das residências acontece por sorteio e leva em consideração bases do IPTU de 2020, hidrômetros da Sabesp e cadastro da Estratégia Saúde da Família. O morador sorteado recebe orientações do profissional da saúde sobre o estudo, assina o termo de adesão à pesquisa e, diante do aceite, tem amostra de sangue coletada. O resultado da fase 2, divulgado no dia 27 de agosto, mostrou uma prevalência de infecção por SARS-CoV-2 em 18,3% dessa população, com 69,5% de proporção de crianças assintomáticas, e é isso que preocupa a gestão Covas, que vetou a abertura de escolas na próxima terça-feira (8) para aulas de reforços e outras atividades, como autorizou o governo estadual --no início da semana a gestão João Doria (PSDB) afirmou que 128 municípios paulistas já haviam optado pelo retorno do ensino presencial. Apesar de o governo Doria ter autorizado essa reabertura parcial das escolas em setembro e determinado a volta às aulas presenciais para 7 de outubro, é preciso haver liberação das prefeituras. Segundo nota da Secretaria Municipal da Saúde, além de dar início à terceira fase do inquérito sorológico, a pasta está desenvolvendo um estudo analítico da pandemia pelo novo coronavírus na capital. Essa avaliação terá oito fases, realizadas a cada 15 dias, e o objetivo é identificar o grau de contágio da população e conhecer a real letalidade da Covid-19. "Com base nesses dados serão atualizadas ações para enfrentamento da pandemia na cidade de São Paulo. Os trabalhos começaram em 10 de junho e estão na quinta fase", afirma trecho de nota da pasta.