Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.204,90
    -1.370,57 (-1,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.668,79
    -5,51 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,51
    -0,02 (-0,04%)
     
  • OURO

    1.784,10
    -4,00 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    19.196,22
    +844,78 (+4,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    376,93
    +12,34 (+3,38%)
     
  • S&P500

    3.620,93
    -17,42 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    29.588,43
    -321,94 (-1,08%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.284,50
    +27,00 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3901
    +0,0155 (+0,24%)
     

Russomano segue Bolsonaro e defende suspensão de testes da CoronaVac: 'Estelionato tucano'

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
Russomanno atacou o governo Doria e defendeu a ação da Anvisa de suspender os testes da CoronaVac. (Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação)
Russomanno atacou o governo Doria e defendeu a ação da Anvisa de suspender os testes da CoronaVac. (Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação)

Candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na disputa pela Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos) seguiu o aceno ideológico bolsonarista e defendeu a suspensão do teste clínico da vacina Coronavac, anunciado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na noite de segunda-feira (9).

Russomanno defendeu a ação da Anvisa de paralisar os testes da vacina e atacou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). A CoronaVac é vacina contra o novo coronavírus produzida pela empresa chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, do governo paulista.

“Como prefeito de São Paulo, protegerei nossa população deste estelionato tucano. O governo federal, por meio da Anvisa, suspendeu acertadamente o ensaio clínico da CoronaVac, uma vacina que está longe de cumprir as etapas obrigatórias para sua aprovação. Mais uma vez, o governo Doria assume um risco desnecessário e apressado, desta vez contra a saúde do povo brasileiro, com o objetivo rasteiro de obter lucro político”, escreveu o candidato, em sua conta no Twitter.

Leia também

A justificativa da Anvisa para a suspensão é a ocorrência de um “evento adverso grande”, no dia 29 de outubro, mas não deixou específico qual evento teria ocorrido. Já o Instituto Butantan falou em morte não relacionada à vacina.

Com a paralisação dos testes, nenhum novo voluntário poderá receber a vacina. A ação ocorreu no mesmo dia em que Doria anunciou que 120 mil doses da CoronaVac chegarão ao estado ainda no mês de novembro.

A suspensão do teste clínico pegou próprio governo de João Doria (PSDB) de surpresa. A gestão do tucano diz não ter sido avisado pela Anvisa e aliados de Doria questionaram a divulgação da informação por meio de nota, em horário nobre de noticiários de televisão.

‘GUERRA DAS VACINAS’

Há tempos, Doria e Bolsonaro travam uma espécie de “guerra das vacinas”, com o tucano defendendo a aplicação obrigatória do imunizante enquanto o presidente comanda um movimento anti-vacinas. Na manhã desta terça-feira (10), o presidente compartilhou a notícia de suspensão pela Anvisa dos testes da vacina Coronavac e disse ter “ganhado” do tucano.

Na avaliação de aliados do presidente, Doria estaria tentando ganhar “capital político” ao encampar a produção de uma vacina contra a Covid-19 e chegaria municiado neste tema em uma eventual disputa pela presidência em 2022 contra Bolsonaro.