Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,02
    -0,69 (-1,51%)
     
  • OURO

    1.814,70
    +3,50 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    17.270,04
    +195,67 (+1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    337,82
    -32,69 (-8,82%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.531,53
    -5,78 (-0,02%)
     
  • NASDAQ

    12.151,50
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3411
    +0,0012 (+0,02%)
     

Rússia pode ter vacina contra coronavírus aprovada em duas semanas

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Closeup of doctor hand are vaccinations to patients using the syringe.Medical concept
Closeup of doctor hand are vaccinations to patients using the syringe.Medical concept

A Rússia tem a esperança de ser o primeiro país do mundo a aprovar uma vacina contra o novo coronavírus, já no início do mês de agosto, segundo a TV americana CNN.

A vacina que está sendo criada pelo Instituto Gamaleya, da capital Moscou, teria aproveitado a tecnologia usada para criar vacinas de outras doenças, facilitando o processo e diminuindo o tempo de desenvolvimento, segundo oficiais do governo russo.

Leia também

Segundo oficiais russos, a vacina tem sido testada nos próprios cientistas que trabalham no desenvolvimento e em soldados do exército local.

No momento, existem questões sobre a segurança e a efetividade da vacina, já que o tempo usado para o desenvolvimento seria bem menor do que as outras vacinas que estão sendo testadas no mundo. Enquanto outros laboratórios passam pela terceira fase de teste, a russa ainda se encontra no segundo estágio. Os cientistas acreditam que podem realizar a terceira fase enquanto profissionais de saúde já seriam vacinados, por volta do dia 3 de agosto.

Críticos do governo de Vladimir Putin afirmam que o rápido desenvolvimento da vacina acontece por pressão do Kremlin, que busca mostrar o país como uma força científica.

De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, a Rússia soma 822.060 infectados e 13.483 mortos durante a pandemia do novo coronavírus.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube