Mercado fechado

Rumor | Pré-vendas do Stadia estariam abaixo do esperado pelo Google

Rafael Arbulu

Não parece um bom começo para o Stadia, o console de cloud gaming do Google: segundo o jornalista Jason Schreier, do Kotaku, uma de suas fontes, próximas à situação disse que as pré-vendas do aparelho estão, na verdade, decepcionantes para as expectativas da empresa sediada em Mountain View, Califórnia.

Apesar da edição Founders — aquela com mais benefícios — ter se esgotado no dia de lançamento do Stadia, na última terça-feira (19), edições inferiores estão sinalizando um encalhamento de estoque. Isso porque, segundo a fonte do jornalista, que requisitou pelo anonimato, a versão “sem assinatura” do aparelho só chega em algum momento de 2020. Por causa disso, o interesse por edições que contarão com planos de assinatura pagos são a única forma de medir interesse.


Schreier, em seu perfil oficial no Twitter, atribui muito disso ao modelo de negócios praticado pelo Google com o Stadia: apesar de trazer em si um serviço de assinatura que custe ao usuário (pelo menos) US$ 10 mensais, o console de cloud gaming ainda cobra o valor completo pelos jogos e conteúdos para download (DLC) disponibilizados nele.

Parte do impacto nas pré-vendas também deve ter vindo da imprensa especializada: diversos sites e publicações gamers norte-americanas tiveram a oportunidade de analisar o Stadia. Embora a maior parte seja elogiosa em relação ao aparelho em si, críticas sobraram para uma série de funções e recursos ausentes, além da interface de usuário limitada e falta de conteúdo original. Mais além, alguns destes veículos descobriram que, apesar das promessas do Google, não estão rodando em 4K ou 60 quadros por segundo em alguns casos, títulos como Red Dead Redemption 2 ou Destiny 2.


O Google já afirmou no passado que está construindo estúdios para desenvolver jogos originais para o Stadia, então o futuro ainda parece promissor ao aparelho, que se encontra disponível para aquisição em 14 países, incluindo Reino Unido e EUA. Mas alguns deles não terão certas edições disponíveis inicialmente. O Brasil, pelo menos por enquanto, ficou de fora, com o Google ainda não dando uma previsão de chegada do console por aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: