Mercado abrirá em 2 h 22 min
  • BOVESPA

    106.373,87
    -553,92 (-0,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.973,27
    +228,35 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,14
    +1,32 (+1,57%)
     
  • OURO

    1.811,80
    -4,70 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    41.850,27
    -960,11 (-2,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.001,63
    -24,10 (-2,35%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.537,12
    -74,11 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.297,25
    -298,50 (-1,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2938
    0,0000 (0,00%)
     

Rumor: Mercado Livre vai lançar criptomoeda “Melicoin”

·2 min de leitura
Caixa de papelão para entrega do Mercado Livre
Caixa de papelão para entrega do Mercado Livre

Um internauta atento ao site do Mercado Livre viu indícios de que uma criptomoeda estável (stablecoin) pode estar nos planos da gigante do e-commerce. As stablecoins são conhecidas no mercado por ter um valor lastreado em algum ativo, sendo mais comum em dólar, como é o caso da Tether (USDT) e Dólar Paxos (USDP), este último que já é aceito pelo Mercado Pago no Brasil para compra e vendas.

Apesar disso, existem stablecoins lastreadas em Euro, Ouro e até Yuan chinês, mostrando que esse mercado é amplo.

Na Argentina, por exemplo, país sede do Mercado Livre, uma proposta de stablecoin lastreada em lítio foi feita em 2021 e o caso de criação de novas moedas seguem crescendo.

Rumor de que Mercado Livre vai criar stablecoin “Melicoin”

Na página de API do Mercado Livre, uma informação interessante chamou a atenção de um desenvolvedor. Acessando o ambiente, o nome “Melicoin” foi visto por ele como um possível plano de se criar uma criptomoeda pela empresa.

Informação em página do Mercado Livre deu a entender que possível stablecoin está em fase de testes
Informação em página do Mercado Livre deu a entender que possível stablecoin está em fase de testes /Reprodução

Segundo o autor da publicação, Diego Marignac, que chegou a citar o COO Daniel Rabinovich em busca de esclarecimentos, ele diz que cruzou com uma nota interessante. Em dezembro de 2021, o desenvolvedor havia perguntado publicamente para a empresa se havia planos de lançamento de uma criptomoeda própria.

Conhecida por ser uma das maiores plataformas de compra e venda de produtos na América Latina, com presença forte no Brasil, Argentina e México, o Mercado Livre tem suas ações listadas na bolsa dos Estados Unidos.

Com o símbolo “MELI”, suas ações na Nasdaq já valorizaram mais de 4.000% desde a listagem em 2007. Como o nome MELICOIN foi visto por Diego, o rumor de uma possível stablecoin da empresa acabou sendo compartilhado pela internet.

Vale lembrar que o Mercado Livre comprou Bitcoin como reserva de valor em 2021 e, apenas no Brasil por enquanto, listou a compra e venda de Bitcoin, Ethereum e Dólar Paxos.

O Livecoins procurou a empresa para comentar sobre o rumor de mercado. Em nota, o Mercado Livre disse que não vai comentar sobre o assunto.

Unicórnio regional é acompanha por empresas

É importante destacar que o Mercado Livre é uma grande empresa da América Latina e seus movimentos são acompanhados pelo mercado. Assim, qualquer envolvimento com criptomoedas por essa empresa é rapidamente notado e deve demonstrar uma tendência para os movimentos de negócios da região.

Após anunciar a comprar de Bitcoin em 2021, por exemplo, o Mercado Livre acabou inspirando outra grande empresa unicórnio da região a fazer o mesmo, que foi a Globant. Dessa forma, fica claro que a presença do Mercado Livre no mercado de criptomoedas é importante no mercado latino.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos