Mercado abrirá em 1 h 22 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,40
    +0,25 (+0,37%)
     
  • OURO

    1.816,90
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    38.107,20
    -44,16 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    945,48
    +18,71 (+2,02%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.108,88
    -14,98 (-0,21%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.103,75
    +30,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1211
    +0,0028 (+0,05%)
     

Dólar recua ante real, mas tensões políticas seguem no radar

·2 minuto de leitura
Dólar recua ante real, mas tensões políticas seguem no radar

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar passava a cair contra o real nesta segunda-feira, depois de subir mais cedo em meio ao clima político tenso em Brasília, enquanto, no exterior, os investidores acompanhavam com cautela a disseminação da variante Delta da Covid-19.

Às 10:13, o dólar recuava 0,28%, a 5,2433 reais na venda. O contrato mais líquido de dólar futuro caía 0,46%, a 5,247 reais.

Alexandre Netto, head de câmbio da Acqua-Vero, chamou a atenção para o fato de que sexta-feira -- dia de feriado em São Paulo, maior praça do país -- foi um dia positivo para os mercados financeiros internacionais. Ele também disse que alguns investidores esperavam esse movimento de recuperação do real após várias desvalorizações diárias consecutivas nos últimos pregões.

Mais cedo, no entanto, o dólar chegou a tocar 5,2861 reais na máxima do pregão.

Vários investidores têm chamado a atenção para os ruídos políticos domésticos como fator de impulso para a busca por segurança nos últimos dias, em meio à escalada das tensões entre Executivo e os outros dois poderes.

Na sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, por ser contra mudança no sistema de votação do país para o voto impresso, enquanto o presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que o Parlamento repudia qualquer especulação sobre a não realização do pleito de 2022 e garantiu a realização da eleição.

Em meio ainda às investigações da CPI da Covid-19 no Senado, uma pesquisa Datafolha mostrou no sábado que a maioria dos entrevistados apoia a abertura de um processo de impeachment contra Bolsonaro.

"As tensões políticas fazem, sim, um pouco de preço", disse Netto, destacando que muitos investidores já estão de olho nas eleições presidenciais de 2022, que podem trazer muita volatilidade para os mercados.

Além disso, ele explicou que a proposta de reforma tributária do governo -- que inclui, entre outros pontos, taxação sobre dividendos pagos aos investidores -- também tem ajudado a direcionar os ganhos recentes da divisa norte-americana frente ao real.

O dólar já acumula ganho de cerca de 7% contra a moeda brasileira desde que fechou o dia 24 de junho numa mínima em mais de um ano de 4,9062 reais.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de pares fortes tinha alta de aproximadamente 0,2% nesta segunda-feira, enquanto divisas de países emergentes ou ligadas a commodities, como peso mexicano, rand sul-africano e dólar australiano, registravam perdas nesta manhã.

O radar dos investidores internacionais tem sido dominado pelas notícias sobre a variante Delta, altamente contagiosa, do coronavírus, em meio a temores de que novos surtos da Covid-19 possam atrapalhar a recuperação da economia global.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos