Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,48
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.812,30
    -5,80 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    39.442,23
    -877,65 (-2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    951,68
    -9,21 (-0,96%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    14.963,25
    +10,50 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1208
    -0,0672 (-1,09%)
     

RS vende estatal de transmissão de energia por R$ 2,67 bilhões

·2 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Em leilão concorrido, o governo do Rio Grande do Sul privatizou nesta sexta-feira (16) a CEEE-T (Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul). A disputa foi vencida pela CPFL, por R$ 2,67 bilhões, um ágio de 57,13% sobre o preço inicial.

Foi a segunda privatização de estatais do setor elétrico do governo Eduardo Leite (PSDB) em 2021. Em março, a Equatorial Energia arrematou a CEEE-D (Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica) por R$ 100 mil mais incorporação de dívidas e compromissos.

No leilão, foi vendida uma fatia de 66,08% do capital social da CEEE-T. A empresa é responsável pela operação e manutenção de mais de 6 mil km de linhas de transmissão de energia e de 69 subestações, que cobrem todo o estado.

Ao todo, seis concorrentes apresentaram proposta na primeira fase do leilão. A CPFL saiu na frente, com oferta de R$ 2,6 bilhões, mas a disputa foi para viva-voz, fase em que a vencedora disputou alguns lances com a CTCE (Companhia Técnica de Comercialização de Energia).

O governo do Rio Grande do Sul prevê também a privatização da estatal de geração de energia CEEE-G. No momento, os estudos técnicos para a privatização estão sendo tocados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

O governo defende que a venda da CEEE-D era necessária para evitar a caducidade do contrato pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), já que a companhia vinha operando com indicadores financeiros e operacionais abaixo dos exigidos pela agência.

"A troca de controle permitirá agora a retomada da capacidade financeira da companhia, que poderá investir na melhoria da prestação de serviços", disse o governo, após o leilão de abril, na ocasião. A compradora deverá investir cerca de R$ 1,6 bilhão em cinco anos.

As operações são parte de um amplo programa de desestatizações em curso no estado, que estuda com o BNDES a privatização também de empresas de saneamento, gás encanado e mobilidade urbana, além da concessão de rodovias, parques, presídios e serviços de água e esgoto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos