Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.907,93
    -1.597,08 (-4,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Rover Zhurong sai do módulo de pouso e começa a explorar Marte; veja o vídeo!

·2 minuto de leitura

A China fez história ao pousar o rover Zhurong na superfície de Marte no dia 14 de maio, o primeiro do país a pousar em outro planeta. Desde então, o veículo passou seus dias no módulo de pouso em Utopia Planitia, e finalmente o deixou: de acordo com informações da agência espacial chinesa China National Space Administration (CNSA), o veículo desceu do módulo na última sexta-feira (21) e já explorou um pouco da região, deixando suas primeiras “pegadas” por lá.

O rover Zhurong — cujo nome foi escolhido para homenagear uma divindade do fogo, que faz parte da antiga mitologia chinesa — permaneceu no módulo para realizar checagens de sistema e estudos de ambiente. Assim, a CNSA anunciou, no sábado (22), que o veículo havia tocado a superfície de Marte durante a noite de sexta-feira, e que já iria iniciar atividades científicas e exploratórias por lá com seus instrumentos, que incluem câmeras óticas e radares de penetração no solo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O orbitador da missão Tianwen-1, que está na órbita de Marte desde fevereiro, já alterou sua órbita para transmitir os dados do rover até nosso planeta. Enquanto o rover deverá operar por 90 dias, o orbitador foi projetado para durar um ano marciano, que equivale a cerca de 687 dias na Terra. Assim, ele irá funcionar como um apoio de comunicação entre o veículo e nosso planeta para transmitir os dados enquanto o Zhurong realiza suas atividades científicas por lá.

A missão Tianwen-1, a primeira interplanetária e independente realizada pela China, é composta por um orbitador, um lander e um rover, e foi lançada em julho do ano passado. A sonda alcançou Marte em fevereiro de 2021 e passou alguns meses coletando imagens de alta resolução do Planeta Vermelho antes da tentativa de pouso em Utopia Planitia. Esta é uma região que veio de um grande impacto ocorrido no passado de Marte, e tem relevo principalmente plano e suave.

O rover Zhurong deverá operar durante 90 dias, enquanto o orbitador da Tianwen-1 atua como transmissor de dados. Durante sua missão, o rover irá produzir registros tridimensionais da paisagem marciana em alta resolução, além de analisar a composição da superfície do planeta, estudar como é a estrutura abaixo da superfície e o campo magnético, procurar por sinais de água de gelo e observar o ambiente meteorológico por lá, complementando os estudos científicos realizados por missões de outras agências espaciais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: