Mercado abrirá em 3 mins
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,49
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.785,30
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    32.959,81
    -1.027,40 (-3,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    789,51
    +2,89 (+0,37%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.135,71
    +25,74 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.373,75
    +19,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8855
    +0,0232 (+0,40%)
     

Rover Curiosity captura imagens de nuvens brilhantes no céu de Marte

·2 minuto de leitura
Rover Curiosity captura imagens de nuvens brilhantes no céu de Marte
Rover Curiosity captura imagens de nuvens brilhantes no céu de Marte

O Rover Curiosity, da Nasa, capturou imagens de nuvens brilhantes no céu de Marte, algo considerado raro durante este período do ano marciano. Os dias nublados são relativamente raros no planeta vermelho, que tem uma atmosfera fina e seca, sendo assim, as nuvens aparecem na época mais fria do ano marciano, que tem um período correspondente a dois anos terrestres. Por isso, as imagens capturadas pelo rover mais antigo em atividade em Marte são especiais.

Os cientistas começaram a se preparar para documentar essas nuvens desde o primeiro aparecimento delas, que ocorreu no final de janeiro. O resultado foram algumas imagens de pequenas nuvens cheias de cristais de gelo que espelham a luz conforme o Sol se põe, algumas delas com um brilho colorido. Essas imagens podem ajudar os cientistas a entender a formação das nuvens em Marte e o porquê de essas mais recentes terem se formado antes.

Leia mais:

O que se sabe até o momento é que as nuvens que chegam mais cedo estão em altitudes mais altas do que o normal, que é de em torno de 60 quilômetros no céu, e são compostas por gelo de água. As nuvens capturadas pelo Curiosity estão em um local mais elevado, onde a temperatura é muito fria, indicando que elas podem ser feitas de dióxido de carbono ou gelo seco.

Nuvens capturadas pelo Curiosity sobre o Monte Sharp. Crédito: Divulgação/Nasa
Nuvens capturadas pelo Curiosity sobre o Monte Sharp. Crédito: Divulgação/Nasa

Próximo passo

Agora, os cientistas vão procurar por pistas para estabelecer a altitude de uma nuvem, além disso, serão necessárias mais análises das imagens mais recentes do Curiosity para conseguirem definir quais nuvens são de gelo de água e quais são de gelo seco.

Por suas estruturas finas e onduladas, essas nuvens são mais facilmente visíveis com as imagens das câmeras de navegação em preto e branco do Curiosity. Porém, são as imagens coloridas da Mast Camera (Mastcam) que brilham de fato. Ou seja, quando vistos após o pôr do sol, seus cristais captam uma luz fraca, o que faz com que pareçam brilhar contra o céu que está escurecendo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos