Mercado fechado

Rover chinês Zhurong já percorreu quase 2 km da superfície de Marte

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Administração Espacial Nacional da China (CNSA) divulgou uma atualização sobre a missão do rover Zhurong. Segundo a agência, ele já percorreu mais de 1,9 km da superfície de Marte, desde que pousou em Utopia Planitia em maio do ano passado.

Neste último domingo (1º), o Zhurong completou 342 sóis (como são chamados os dias em Marte, que duram cerca de 40 minutos a mais do que os dias terrestres) de sua missão, a pelo menos 240 milhões de km de distância da Terra.

Rover Zhurong e seu módulo de pouso sobre a superfície marciana (Imagem: Reprodução/CNSA)
Rover Zhurong e seu módulo de pouso sobre a superfície marciana (Imagem: Reprodução/CNSA)

O rover chegou à órbita de Marte em fevereiro do 2021 a bordo do seu companheiro de missão, o orbitador Tianwen-1. Mas o rover só se separou do satélite três meses depois e, no dia 15 de maio de 2021, pousou na vasta planície marciana conhecida como Utopia Planitia. Sua vida útil estimada era de apenas 90 sois.

De lá para cá, o rover tem coletado amostras da superfície e uma série de imagens. Recentemente, os dados do Zhurong indicaram que a paisagem na qual ele se encontra parecer ter sido moldada pelos ventos de Marte ao longo de milhares de anos.

O Zhurong também está prestes a começar a atravessar o inverno marciano, cujas temperaturas noturnas podem cair para mais de 100 °C negativos, além de tempestades de areia que podem durar até seis meses terrestres. Segundo a CNSA, o rover foi projetado para sobreviver a todos esses desafios, então não há motivo para preocupação.

As "pegadas" do rover Yutu-2 na superfície da Lua registrada por ele mesmo (Imagem: Reprodução/NASA/GSFC/Arizona State University)
As "pegadas" do rover Yutu-2 na superfície da Lua registrada por ele mesmo (Imagem: Reprodução/NASA/GSFC/Arizona State University)

A agência também deu uma breve atualização sobre o rover lunar Yutu-2, que pousou na cratera Von Kármán, localizada no lado mais afastado da Lua, próximo ao polo sul, em janeiro de 2019. O veículo foi projetado para operar na superfície da Lua por cerca de três dias lunares (cada um equivalente a 29 dias e meio na Terra), mas já trabalha há mais de 42 dias lunares, e percorreu uma distância de 1.181 metros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos