Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,70 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,75 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,07
    +0,31 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.724,80
    +4,00 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.121,00
    -147,04 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,45 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.631,25
    +7,50 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1379
    -0,0300 (-0,58%)
     

Roubaram meu celular, e agora? 5 ações imediatas a tomar

O roubo de celulares é um dos maiores problemas de segurança pública do país e afeta de maneira séria cidades de diferentes tamanhos. Para além do prejuízo material, de perder um aparelho que, hoje, tem valor médio próximo dos R$ 2 mil, há também os riscos em relação à proteção dos dados contidos no dispositivo que foi subtraído.

Hoje, existem quadrilhas especializadas em roubos de celulares com as telas desbloqueadas, o que facilita bastante a ação de criminosos para acessar aplicativos de bancos, por exemplo. Porém, mesmo com a tela bloqueada, os aparelhos subtraídos também podem ser invadidos, por conta disso, é importante agir rápido para evitar prejuízos financeiros.

Confira cinco ações a serem tomadas após ter um celular roubado

1- Rastrear e apagar dados remotamente: nos principais sistemas operacionais do mercado, Android e iOS, é possível rastrear, bloquear e excluir dados do aparelho usando um navegador web. Nos aparelhos com o sistema do Google, isso deve ser feito pelo app Encontre Meu Dispositivo, enquanto no iPhone, a ação deve ser realizada diretamente pelo iCloud.

É importante realizar o rastreamento, bloqueio e exclusão de dados antes de bloquear a linha junto a operadora, já que, ao fazer isso, o acesso às informações do aparelho é perdido. Além disso, ative previamente a busca por localização para ativar o acesso remoto ao smartphone.

2- Bloquear o celular pelo IMEI: o bloqueio deve ser feito junto a operadora com um número de identificação do dispositivo, o IMEI. Este número pode ser encontrado na caixa do aparelho ou no site do sistema operacional. Para isso, é necessário ligar de um outro aparelho para a operadora e fornecer os dados necessários para bloquear o dispositivo.

Outra possibilidade é abrir um boletim de ocorrência em uma delegacia da Polícia Civil ou pela internet. Com exceção de Amapá e Acre, todos os estados têm sistemas habilitados para bloqueio de aparelhos. Mas, para isso, é necessário ter o número do IMEI guardado e acessível para caso o telefone seja roubado ou perdido em algum momento.

3- Entrar em contato com o banco: ligue para seu banco e outros serviços financeiros de aplicativos instalados no telefone, como carteiras digitais e apps de corretoras de investimentos. Informe o ocorrido e peça imediatamente o bloqueio de cartões virtuais, contas e operações que dependem do aparelho para serem realizadas.

4- Registrar um boletim de ocorrência: além do bloqueio do aparelho, a abertura de um boletim de ocorrência (B.O) é importante para notificar as autoridades de segurança sobre o ocorrido. Além disso, caso o aparelho tenha seguro, o documento é essencial para o pedido de ressarcimento junto à seguradora.

5- Alterar as senhas: também é recomendável mudar as senhas de e-mail, redes sociais e demais aplicativos que você possui no aparelho. Também é necessário usar a opção “sair de todos os dispositivos”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: