Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.708,39
    +1.498,31 (+3,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Romi-Isetta elétrico? Microlino 2.0 é lançado em três versões

·3 minuto de leitura

Lembra do simpático carrinho lançado aqui no Brasil em meados da década de 1950, o Romi-Isetta? Então... Não é que 70 anos depois ele serviu de inspiração para um lançamento cheio de tecnologia? A Micro Mobility Sistems apresentou na última sexta-feira (10), no Salão de Mobilidade IAA, em Munique (Alemanha), o Microlino 2.0, considerado a “versão elétrica”do Romi-Isetta.

As semelhanças entre o modelo de 70 anos atrás e o atual, no entanto, se resumem basicamente ao visual pouco convencional e, claro, aos olhares curiosos que o pequeno carro elétrico atrai. O novo modelo é basicamente igual ao protótipo revelado em 2020, com o mesmo visual retrô exterior, mas algumas modernizações.

“Após vários anos de desenvolvimento e mais desafios do que inicialmente pensamos, estamos orgulhosos de finalmente poder apresentar a versão de produção do Microlino”, comemorou Wim Ouboter, chefe da Micro Mobility Systems, satisfeito com o resultado obtido.

Três versões e muita tecnologia

Imagem: Divulgação/Micro Mobility Systems
Imagem: Divulgação/Micro Mobility Systems

A versão que custará 12,5 mil euros é a Urban (foto acima), considerada mais básica. Ela terá a bateria menos potente das três, de 6 kWh, com a promessa de autonomia de 90 quilômetros. A segunda variante, batizada de Dolce, terá uma bateria de 10,5 kWh e, consequentemente, poderá rodar mais com uma única carga, alcançando 175 quilômetros. A terceira e última versão, chamada Competizione, é a mais completa e pode rodar até 230 quilômetros graças à bateria de 14 kWh. A velocidade máxima é de 90 km/h.

Independentemente da variante escolhida, a promessa da marca é que todos os Microlino 2.0 serão recheados de tecnologia. Uma das curiosidades está no fato de o carro não ter portas laterais. Isso mesmo. Os ocupantes (dois, no máximo), têm de entrar e sair do veículo pela parte frontal. A maçaneta é, na verdade, um botão, e todo o exterior do carro conta com faixas horizontais em LED.

O quadro de instrumentos, posicionado no eixo da direção, apresenta uma tela sensível ao toque. A princípio, parece simples, mas apresenta pareamento via Bluetooth e ainda permite que seu smartphone seja fixado a ela por meio de uma haste de alumínio. O acabamento interno (menos na versão mais básica) oferece opções com tecido premium e materiais em couro vegano. O porta-malas tem 220 litros de capacidade e, segundo a marca, é suficiente para “três engradados de cerveja... ou champanhe, se você preferir”.

Imagem: Divulgação/Micro Mobility Systems
Imagem: Divulgação/Micro Mobility Systems

O carregamento do Microlino 2.0 também promete surpreender. Segundo a marca, ele alcança 100% em apenas quatro horas ao ser conectado a uma tomada doméstica comum. “Caso você esteja com pressa, o Microlino pode ser carregado em apenas 1 hora em uma estação de recarga designada para carros elétricos”.

Fila de espera

Divulgação/Micro Mobility Systems
Divulgação/Micro Mobility Systems

A expectativa da marca é iniciar a produção do Microlino 2.0 ainda este ano, e as vendas, ao que tudo indica, serão um sucesso. A marca está projetando produzir 7,5 mil unidades por ano, mas já teria recebido 24 mil pedidos de reserva para o Romi-Isetta em sua versão elétrica. O preço inicial da versão mais básica (Urban) será de cerca de 12,5 mil euros (R$ 77 mil).

Ah, não podemos encerrar esta matéria sem citar que o Microlino 2.0 não deverá chegar sozinho às ruas quando começar a ser entregue. A marca anunciou que, além da nova versão do Romi-Isetta, também tem intenção de lançar a Microletta.

Ainda em fase conceito, ela é uma scooter elétrica que pode chegar a 80 km/h e com autonomia de até 100 km. A marca ainda não confirmou a produção em massa do veículo, mas já começou a receber reservas. O preço estimado pela Micro Mobility Systems para o produto é de 4.900 euros, ou seja, R$ 30,1 mil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos