Mercado abrirá em 1 h 56 min

Bancado por Ceni, Romarinho supera vaias, vira xodó e tem multa de R$ 20 mi

Camisa 20 do Leão é o quarto colocado em número de dribles certos no Brasileiro e soma três gols (Leonardo Moreira/Fortaleza EC)

Por Afonso Ribeiro

A intensa e amistosa relação entre Rogério Ceni e torcida do Fortaleza teve um raro momento conturbado na noite de 7 de março. O atacante potiguar Romarinho foi chamado para entrar em campo na goleada por 4 a 0 sobre o Confiança, ouviu vaias das arquibancadas, e o treinador reagiu pedindo apoio. Oito meses depois, o camisa 20 superou as críticas, virou xodó dos torcedores e acertou renovação de contrato com alta multa rescisória.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

"Hoje, eu vivo um momento muito bom na carreira, mas eu quero evoluir. O atleta não tem que se acomodar, tem que sempre procurar evoluir porque isso vai ser bom para a carreira. Espero estar ajudando o Fortaleza em todos os jogos que o professor optar por mim", disse Romarinho, ainda em setembro, na última entrevista coletiva que concedeu.

Destaque do modesto Globo, do Rio Grande do Norte, o jogador de 25 anos tem passagens pelos conterrâneos ABC e América e vestiu a camisa do Fluminense entre 2017 e 2018 – foram apenas seis partidas e nenhum gol marcado pelo Tricolor das Laranjeiras. Em agosto do ano passado, foi contratado pelo Leão do Pici para a Série B do Campeonato Brasileiro. Atuou 14 vezes, sem balançar as redes.

"Nunca deixei de acreditar no meu potencial. Fui para o Fluminense saindo de uma Série D para jogar uma Série A, e isso foi um pouco complicado para mim, mas eu pude amadurecer tanto psicologicamente como taticamente. Isso me ajudou bastante. Espero continuar trabalhando e sei que vou colher muitos frutos ainda na minha carreira. Espero que seja aqui no Fortaleza", ponderou.

Leia também:

No início da atual temporada, foi colocado pelo departamento de futebol do clube em uma lista de jogadores negociáveis, mas foi bancado por Ceni e continuou tendo oportunidades. As atuações não agradavam à torcida, que passou a vaiá-lo nos jogos e criticá-lo nas redes sociais. A gota d'água foi o episódio diante do Confiança. Mas a virada na trajetória do atacante com a camisa tricolor só ocorreu quase dois meses depois, em 9 de maio.

Mais uma vez, o treinador acionou Romarinho no segundo tempo de um duelo dentro de casa. O placar zerado com o Santa Cruz pela semifinal da Copa do Nordeste levava a decisão da vaga na final para os pênaltis. Aos 32 minutos, porém, o camisa 20 balançou as redes com um belo gol, desabou em lágrimas e viu o Castelão explodir.

De vaiado a exaltado, Romarinho se tornou destaque do Fortaleza em 2019 e tem multa rescisória milionária (Leonardo Moreira/Fortaleza EC)

Com a confiança recuperada – e dois títulos conquistas no ano –, o atacante se soltou em campo. Passou a arriscar jogadas individuais, com dribles e lances em velocidade, além de assistências para os companheiros. No Campeonato Brasileiro, firmou-se como titular e soma 26 partidas, com três gols e outras três assistências. De acordo com o Footstats, é o quinto jogador com maior número de dribles (51) e o quarto com maior número de acertos (42), atrás apenas de Michael, do Goiás, Soteldo, do Santos, e Dudu, do Palmeiras.

"É uma responsabilidade não só minha como de todos os companheiros. Eu não tenho que conquistar a torcida, mas sim fazer o meu trabalho e procurar ajudar o Fortaleza. Consequentemente, a torcida vai admirar o meu futebol. Sempre procurei me esforçar ao máximo para ter uma reviravolta na minha carreira e hoje eu consegui. Espero manter isso e conquistar os objetivos que eu tenho para a minha carreira e que o Fortaleza tem para o ano", falou o atacante.

"Ele sempre foi o mesmo. A única coisa é que ele não tinha feito um gol, e o torcedor não entendia que era preciso ter a paciência necessária com ele. Mas ele se desenvolveu muito da época que veio do Globo para hoje”, ponderou Rogério Ceni. 

Veja mais no Blog Futebol Nordestino

“Falei para ele ao final da partida que ele deve guardar esse jogo como referência para a carreira dele, porque, para mim, foi o melhor jogo que ele fez com a camisa do Fortaleza. Foi o melhor jogador, para mim, disparado da partida. Deu bons dribles, soltou a bola um pouco mais rápido do que normalmente ele solta, prendeu a bola, ganhou as faltas, desafogou o time... Então, foi uma grande partida. Ele fez uma partida muito acima da média, e eu acho que ele deve levar como referência. Desse nível para cima, ele tende a crescer e, infelizmente, talvez até sair daqui", analisou o comandante, após a vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, no último domingo.

Tirar o atacante do Pici, no entanto, não será tarefa fácil – ou barata. No início de setembro, embalado pelo desempenho com a camisa tricolor, Romarinho assinou um novo contrato com o Fortaleza, com duração até julho de 2022. 

O jogador recebeu aumento salarial, e a multa rescisória pulou para R$ 20 milhões, apurou o Yahoo Esportes. Para superar a concorrência do Ceará e tirar o atacante do Globo, o Tricolor pagou um valor baixo para o clube potiguar – inferior a R$ 50 mil.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter