Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    60.449,73
    -1.204,64 (-1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Rolls-Royce diz que tem recursos para superar crise apesar de prejuízo recorde

Sarah Young
·2 minuto de leitura
Fábrica da Rolls Royce

Por Sarah Young

LONDRES (Reuters) - A Rolls-Royce tem recursos suficientes para enfrentar a crise na indústria da aviação causada pela pandemia de Covid-19, disse seu presidente-executivo nesta quinta-feira, após a fabricante de motores registrar um prejuízo recorde de 4 bilhões de libras (5,6 bilhões de dólares) em 2020.

A empresa britânica afirmou que seu consumo de caixa deve cair pela metade em 2021 e tornar-se positivo no segundo semestre, com a vacinação e os viajantes voltando a voar.

"O pior já ficou para trás", afirmou o CEO da companhia, Warren East.

Mesmo que isso se mostre otimista, a Rolls está bem posicionada para lidar com mais turbulências depois de uma campanha para cortar custos e levantar fundos, acrescentou. "Temos nosso consumo de caixa sob controle ... Temos ampla liquidez para superar esta crise enquanto ela durar."

O modelo da Rolls de cobrar das companhias aéreas o número de horas que seus motores voam significou que grande parte de sua receita secou no ano passado quando as viagens pararam, forçando-a a pedir dinheiro aos acionistas e assumir 5,3 bilhões de libras em novas dívidas.

Seu braço aeroespacial civil, cujos motores equipam os jatos Airbus A350 e Boeing 787, responde por pouco mais da metade da receita do grupo em um ano normal.

O consumo de caixa do ano passado de 4,2 bilhões de libras ficou em linha com as expectativas dos analistas, e a Rolls previu que reduziria esse valor para 2 bilhões neste ano.

A empresa cortou 15% do pessoal em 2020 e colocou 2 bilhões de libras em ativos à venda para reparar seu balanço patrimonial.

PREJUÍZO HISTÓRICO

A Rolls, fundada em 1906 e um dos últimos vestígios da outrora poderosa indústria manufatureira do Reino Unido, registrou um prejuízo subjacente antes dos impostos de 4 bilhões de libras em 2020, pior do que as expectativas dos analistas de prejuízo de 3,1 bilhões de libras e a maior de todos os tempos.

As ações da companhia avançavam 0,8% por volta de 09:30 (horário de Brasília). Os papéis perderam 41% desde o início da pandemia, há cerca de um ano, mas ganharam 22% no mês passado com as esperanças de recuperação das viagens.

A venda da unidade de ITP da Rolls, com sede na Espanha, que deverá ser seu maior desinvestimento, está progredindo bem e há conversas em andamento com uma série de compradores em potencial, disse a empresa.

"Estamos abertos a abordagens de qualquer parte com uma oferta confiável no momento. Isso inclui estar aberto, a propósito, a discussões com potenciais investidores ou parceiros espanhóis", disse East.